Coronavírus: como retomar as aulas

Especialista em educação recomenda que a volta às aulas seja momento de ouvir e acolher os alunos

Os alunos de escolas públicas e privadas em todo o Brasil não retornarão às aulas até pelo menos final de abril e devem estar preparados para repor as aulas por todo o mês de julho, quando normalmente haveria o período de férias escolares. Inclusive, muitas escolas – aquelas que optaram em não utilizar o ensino a distância nesse momento – já anteciparam as férias do meio do ano.

Segundo dados recentes da Unesco, que monitora em tempo real a suspensão das aulas no mundo todo por conta da pandemia de Covid-19 (Coronavírus), já ultrapassa 90% a taxa de estudantes em casa. No Brasil, são mais de 52 milhões de alunos sem aula até o momento. Isso é apenas um dos reflexos da pandemia que forçou a suspensão das aulas em todo o país desde meados de março desse ano.

Conversamos com Dirce Zan, diretora da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), para obter dicas de como retomar as aulas presenciais de forma a minimizar os impactos causados pela pausa no ano letivo. Confira a seguir:

Momento de ouvir e acolher

De acordo com a especialista em educação, enfrentamos um momento no qual as pessoas mais experientes já comparam a episódios como guerras ou grandes tragédias vividas anteriormente pela humanidade.

“Dessa forma, penso que a principal noção que precisamos ter é a de que não voltaremos a uma normalidade após esse período de isolamento social”, afirma.

Dirce Zan, que também é docente do Departamento de Ensino e Práticas Culturais (DEPRAC) da Unicamp, considera fundamental que a escola esteja disposta a ouvir e acolher a todos no possível retorno às aulas a partir do segundo semestre.

“Nesse sentido, não é possível imaginar que chegaremos à escola e nos dirigiremos às salas de aula, juntamente com nossos estudantes, e iremos partir de onde paramos no nosso último encontro!”, adverte.

Para a diretora, as escolas precisam planejar um tempo de encontro e de trocas de histórias, narrativas e sentimentos sobre esse longo tempo vivido por todos nós.

“Talvez a melhor forma desse acolhimento se desse em rodas de conversas, recheadas de muita poesia, música, imagens e cores. E, após falarmos muito sobre a nossa experiência, ou seja, sobre o que nos aconteceu, nos tocou a partir desse momento de isolamento, que poderemos repensar cronogramas e conteúdos”, recomenda ela.

A docente acredita que após essa experiência consigamos ter melhor clareza sobre o que de fato importa na longa lista de conteúdos e atividades que as escolas, em sua maioria, selecionaram para o ano letivo.

“Quanto mais estivermos abertos para ressignificarmos a escola e o trabalho que nela desenvolvemos, maior poderá ser nosso êxito nesse processo. As diferentes disciplinas, os múltiplos conhecimentos que circulam e se produzem na escola, são fundamentais para nos ajudar a pensar e entender o momento singular que estamos vivendo. Ter a pandemia como o grande tema gerador dos currículos escolares, talvez seja também muito mais produtivo e significativo”.

E conclui: “É fundamental aproveitarmos esse momento para reinventarmos o mundo e nossas relações nesse mundo e na escola”.

Retorno das aulas

Ainda não está claro quando o fim da quarentena irá chegar para que os estudantes possam retornar às aulas, porém, o Conselho Nacional de Educação (CNE) orientou que, se necessário, as instituições podem repor as aulas no próximo ano para cumprir as 800 horas mínimas anuais exigidos pela legislação. Ou seja, não é preciso cumprir o ano civil.

Essa é uma das questões que o CNE respondeu às escolas sobre o que deverão enfrentar no retorno da quarentena. Outra dúvida é se as aulas e atividades dadas no formato de EAD (Educação a Distância) serão aproveitadas no ano letivo.   

“Sim. Essas atividades não presenciais podem ser organizadas oficialmente e validadas como conteúdo acadêmico aplicado. Ou seja, podem ser aproveitadas dentro das horas de efetivo trabalho escolar”, respondeu o CNE em sua página na internet.

Vale lembrar que para isso, é preciso uma autorização da autoridade educacional do estado ou do município. Para adotar essa modalidade, as redes de ensino ou escolas precisam adequar metodologia de ensino aos recursos tecnológicos necessários.

“Todos devem prestar atenção na qualidade dessas aulas ou atividades. Os estudantes devem receber o aprendizado adequado e correto. As escolas devem zelar pelo acompanhamento, avaliações e a participação correta dos alunos”, reforça o CNE.

E completa: “Ao autorizar que as aulas e atividades continuem de forma não presencial, as autoridades dos estados e municípios e as instituições particulares devem trabalhar para proporcionar o acesso de todos os estudantes ao aprendizado. Assim como a educação a distância necessita de metodologias próprias, as escolas devem adotar mecanismos próprios de fornecimento do conteúdo e acompanhamento avaliativo e da participação efetiva dos estudantes”.

Como reorganizar o calendário escolar

No caso da suspensão das aulas seguir, o Conselho Nacional de Educação dá orientação de como reorganizar o calendário escolar.

“É necessário entender que as decisões devem ser feitas no âmbito de estados e municípios, responsáveis por indicar como será feita a reposição de conteúdos e atividades, em horas de efetivo trabalho escolar, e dias letivos”, afirma o CNE.

Em relação ao Ensino Médio, existe a Lei 13.415, de 2017 que amplia progressivamente as horas de efetivo trabalho escolar. Ela poderá ser flexível a cada estado ou município, ou seja, pode haver formas diversas de se atender a legislação nacional que deve estar articulada com as legislações locais.“É preciso sempre esclarecer que, no processo de reorganização do calendário escolar, o ano letivo pode, em situações determinadas e para efeito de reposição de aulas e atividades, não coincidir com o ano civil”, lembra.

O órgão governamental ainda reforça que “no processo de reorganização dos calendários escolares, é fundamental que a reposição de aulas e a realização de atividades escolares possam ser efetivadas preservando a qualidade de ensino”.

Futuro próximo da educação brasileira

De acordo com o CNE “a educação brasileira é robusta”. O Conselho reconhece que “instituições públicas e privadas de todos os níveis educacionais vêm demonstrando responsabilidade e compromisso na adoção de medidas que respaldem o direito de seus estudantes ao aprendizado continuado. Isso é muito importante para o Brasil”.

O Ministério da Educação e Cultura (MEC) está em dinâmica colaboração e cooperação com as instituições. Uma dessas ações colaborativas é o evento Educação no mundo 4.0 que começou no dia 8 de abril e se estende nos dias 9, 13, 14 e 15 de abril. Trata-se de webnários com especialistas em educação com transmissão via YouTube, realizados sempre a partir das 16 horas.

Confira a programação completa do evento.

Leia também:

Coronavírus: como ficam questões financeiras e jurídicas para as escolas?

Coronavírus: Como as escolas têm se adaptado ao ensino em casa

Coronavírus: IsCool App como alternativa para a suspensão das aulas

Como a Integração do IsCool App pode contribuir para a volta às aulas

Aplicativo de comunicação escolar integrado ao software de gestão da escola oferece ganho de tempo e segurança da informação no retorno dos alunos

Com a volta das atividades escolares do segundo semestre, os colégios podem se ver em apuros ao realizar o processo de matrículas e rematrículas, atualizar cadastros e boletins, enviar boletos bancários, entre outros processos. Tudo isso pode custar tempo e dinheiro quando esses processos não são automatizados e, pior ainda: quando não estão integrados com as demais ferramentas tecnológicas do colégio.

Por essa razão que o aplicativo de comunicação escolar, o IsCool App, oferece o serviço de integração para conectar-se ao sistema de gestão da escola, também conhecido como ERP (do inglês, Enterprise Resource Planning ou Sistema Integrado de Gestão Empresarial). Um ERP é capaz de atender todos os segmentos de uma escola, centralizando as informações num só lugar.

Por isso é tão interessante a sincronização entre o ERP e o aplicativo de comunicação escolar. Inclusive, já falamos sobre as 5 vantagens em integrar o app de comunicação escolar ao software de gestão anteriormente. Vale lembrar que o IsCool App foi um dos primeiros apps a oferecer o serviço chamado de IsCool Sync, que se integra a diversos softwares de gestão escolar.

Entre eles, a Babylândia e Atuação Escola Bilíngue, de Niterói-RJ que utiliza o IsCool Sync desde o início desse ano. De acordo com o diretor Rodrigo Sampaio, o módulo de integração facilita muito o trabalho da escola no sentido de oferecer maior praticidade.

“Não precisamos lançar os dados no aplicativo, uma vez que o mesmo está integrado ao nosso sistema de gestão. Por exemplo, os pais que fizeram matrícula agora no meio do ano, automaticamente já ficam sabendo dos comunicados e projetos da escola pelo aplicativo, antes mesmo do início das aulas”, explica Rodrigo.

A Babylândia e Atuação Escola Bilíngue foi uma das primeiras da sua região a oferecer o ensino também no idioma inglês. É conveniada a Universidade de Cambridge. Recentemente, adquiriu uma casa em Orlando, na Flórida – EUA, a fim de levar os alunos do ensino médio e fundamental II para participar de intercâmbios nas férias de julho. A escola que atende da Educação Infantil ao Ensino Médio ainda é parceira do Projeto UNOi Educação, que conta com o apoio de parceiros como a Apple, a Unesco, a Epson, entre outros.

Em São Paulo, o Colégio Santo Agostinho também utiliza o IsCoolApp Sync. A escola passou a integrar seu software de gestão ao aplicativo de comunicação escolar desde o começo de 2019. De lá para cá, os resultados têm sido positivos. Segundo Raquel Bohnstedt, diretora pedagógica, a maior vantagem do aplicativo com o serviço de integração é a rapidez com que os pais são informados e a abrangência dos conteúdos.

“Como as informações seguem de forma ativa pelo aplicativo, atingimos também aqueles pais que normalmente não buscam pela informação no site do colégio, aumentando assim a abrangência do público”, relata ela.

O Colégio Santo Agostinho atua na capital paulista desde a década de 30 e possui tradição agostiniana, tendo como um dos principais valores o de ensinar com amor. Atende alunos da educação infantil até o ensino médio. Também oferece ensino bilíngue integrado à proposta pedagógica da escola.

Integração e praticidade

Com o serviço de integração do IsCool App, o IsCool Sync, seu colégio garante integridade dos dados, um princípio básico da comunicação fluida. Sem contar que os pais recebem, em tempo real, informações que antes eles teriam que buscar em outro canal, como portal do colégio ou até mesmo um contato telefônico.

A integração do app de comunicação com seu ERP já se mostra como uma necessidade na rotina diária da escola, principalmente nos momentos de maior fluxo de trabalho, como a volta às aulas.

Mais do que facilitar o dia a dia dos colaboradores e permitir maior vazão no fluxo de trabalho, estamos falando de segurança da informação. Com tantas tecnologias à disposição, é importante que o colégio busque soluções para integrar as ferramentas e facilitar o dia a dia dos colaboradores, alunos e pais. Integrar o aplicativo de comunicação escolar ao sistema de gestão, por exemplo, não só confere praticidade como segurança à informação.

Além de manter os cadastros dos alunos sempre atualizados, a sincronização entre o ERP e o aplicativo IsCool App oferece outros benefícios, como o envio automático de boletos e de outros serviços que utilize o sistema de gestão da escola para registro de baixa, como, por exemplo, catraca.

Entre todas as vantagens do IsCool App Sync, destacam-se:

  • Otimização de tempo

A integração do IsCool App Sync maximiza os benefícios do ERP em produtividade. Isso significa menos tempo perdido tentando fazer um programa conversar com o outro. O processo de integração em si também pode ser bastante rápido.

Quando é necessário puxar as notas e faltas dos alunos para o aplicativo de comunicação escolar, isso é retirado do ERP. Bom para a escola que ganha em credibilidade. Bom para os pais que recebem a informação do boletim e da freqüência escolar sempre atualizada.

  • Mais segurança nos processos

A segurança das informações e de dados é fundamental para qualquer escola. Com a integração do aplicativo ao software de gestão, o colégio garante maior proteção na transição dos dados entre os programas.

Essa confiabilidade acaba refletindo na imagem da própria escola, que passa a ser reconhecida como uma instituição eficiente, preocupada com a segurança da informação, eficácia dos processos e com grande vantagem sobre a concorrência.

Além do que, escolas eficientes necessitam de recursos tecnológicos também eficientes. Parte do portfólio de funcionalidades do IsCool App, o Sync é um serviço oferecido pelo aplicativo, que inclui monitoramento e ajustes necessários em tempo real para que a integração aconteça e a comunicação seja fluida.

Seu colégio não precisa esperar até 2020 para conectar o IsCool App ao sistema de gestão. Aproveite o momento de volta às aulas e integre seus recursos tecnológicos para melhores resultados. Para saber mais informações sobre este serviço, assim como as demais funcionalidades do aplicativo de comunicação escolar, clique aqui.

IsCool App organiza volta às aulas e auxilia colégios, pais e alunos na retomada do ritmo escolar

Escolas que substituíram a agenda escolar de papel pelo comunicador digital antecipam informações e criam novas interações com pais e alunos ainda durante o recesso; o resultado é uma adaptação mais rápida à rotina escolar por parte da família e maiores chances de sucesso do calendário escolar

Volta_Aulas_IsCool App

Logo que confirmou a rematrícula de sua filha para o terceiro ano do ensino fundamental, em outubro de 2017, Ariane Santos já tinha acesso, pelo celular, à lista de materiais, manual do aluno, calendário do ano letivo de 2018 e regimento escolar. Por meio do aplicativo de comunicação escolar, o colégio ainda enviou, no início de janeiro, lembrete sobre a data da primeira reunião de pais e detalhes sobre um passeio pedagógico que só deve acontecer em abril. “Foi muito bom, pois já me programei previamente com todos os custos, desde uniformes até o material escolar. Também já garanti a participação dela à excursão assinando digitalmente a autorização no app”, afirma a assistente administrativa que há um ano utiliza o IsCool App, aplicativo de comunicação escolar do colégio da filha.

Assim como Ariane, milhares de pais vêm experimentando, nos últimos anos, uma maneira diferente de se comunicar com o colégio. A chegada de aplicativos escolares em substituição às tradicionais agendas de papel está transformando a relação escola-pai-aluno e, no caso do período da voltas às aulas, auxiliando o processo de preparação da família à retomada da rotina.

Para os colégios, a comunicação mobile é uma oportunidade a mais de transmitir a preocupação e o cuidado com o aluno. “Sabemos que qualquer mudança na rotina exige esforço e adaptação. Buscamos, por esse motivo, proporcionar o maior nível de previsibilidade possível, divulgando datas e rotinas às famílias para que possam se programar com calma”, explica Luciane Moura, diretora e coordenadora pedagógica do colégio Anglo da cidade de Vinhedo/SP, que utiliza o aplicativo de comunicação IsCool App para transmitir toda sua comunicação.

Contando com cerca de 800 alunos, o Anglo Vinhedo ainda reforça esse cuidado com estudantes do ensino fundamental II e médio, permitindo que eles próprios também gerenciem sua conta no aplicativo de comunicação escolar. “O aplicativo nos auxilia na agilidade do envio dos comunicados. Ele também é importante porque conseguimos ter a visão das famílias e alunos que leram ou não os comunicados”, finaliza a diretora.

 

Informação personalizada para transmitir segurança

Apesar de contar com cerca de 1300 alunos, o Colégio Puríssimo, da cidade de Rio Claro/SP, faz questão de criar uma comunicação personalizada com cada uma das famílias para que todos sintam-se seguros e tranquilos. Uma ação que se torna ainda mais importante neste período de retorno às aulas e que ganhou praticidade por meio do aplicativo escolar.
“Esse é um momento de grande alegria e também de ansiedade de todos. A tranquilidade é essencial no retorno às aulas tanto dos pais quanto dos alunos e isso está pautado na segurança da escolha realizada pela família. O acompanhamento de cada aluno em sua individualidade é a chave do sucesso”, comenta Cássia Elisa Betetto Sciamana, vice-diretora da instituição que elegeu o aplicativo IsCool App como uma ferramenta oficial de comunicação.

 

Aplicativo é necessidade

Por conta da praticidade e das diversas funções que contêm, os aplicativos de comunicação escolar se tornaram item obrigatório nos colégios nos últimos anos. Hoje, estima-se que cerca de 500 mil alunos do ensino básico particular de todo o Brasil já são impactados pela ferramenta. A tendência acompanha a transformação da comunicação, à medida que a sociedade totalmente engajada à tecnologia também traz novas demandas.

 

IsCool App vai além da comunicação

Há um ano no mercado, o IsCool App foi o aplicativo de comunicação escolar que mais cresceu em 2017 e, hoje, tem se firmado, também, como o mais completo. Além de oferecer um sistema de envios de comunicados individuais e em grupo de maneira segura, o app traz funções que facilitam o dia a dia dos colégios, como calendário de atividades com possibilidade de notificação, autorização digital, dispositivo que avisa a portaria do colégio sobre a chegada dos pais na hora da saída e integração com banco de dados, facilitando a troca de informações importantes, como boletins de notas e faltas e assuntos administrativos.