Provas e vestibulares à vista? 6 dicas para ajudar os alunos com um plano de estudos certeiro

Seja para melhorar as notas, seja para passar naquele exame tão esperado; saiba como ajudar os estudantes a atingirem seus objetivos de forma descomplicada

Uma rotina de estudos pode e deve ir além das salas de aula. No entanto, criá-la sem a presença de um professor não é uma tarefa tão simples para boa parte dos alunos. Principalmente, quando eles se veem à beira de provas e dos temidos vestibulares.

Fato é que não existe uma fórmula mágica pronta e que funcione para todos. Mas é possível, sim, criar as melhores estratégias e técnicas com um plano de estudos personalizado, realista e equilibrado.

Para isso, disposição, disciplina e organização são palavras-chaves. Afinal, manter um cronograma de estudos eficaz e que renda frutos pode garantir aquela tão sonhada aprovação dos estudantes.

Sendo assim, reunimos muitas dicas que prometem favorecer essa empreitada. Que tal ajudar os seus alunos a alcançarem os melhores resultados com um plano de estudos certeiro?

Quais os benefícios de criar e manter um plano de estudos?

Para começo de conversa, há muitas vantagens por trás de uma rotina de aprendizado. Além de consagrar-se como uma ferramenta estratégica para expandir conhecimentos, também contribui com disciplina, pois há deveres e horários que precisarão ser cumpridos, e consequentemente, favorece o desempenho escolar.

Ainda há mais benefícios em cena que merecem ser mencionados como:

Mais organização

Planejamento, cronograma e rotina são palavras que já falam por si só e estarão muito presentes na vida dos estudantes que almejam sucesso. Ou seja, se não houver tarefas bem detalhadas a serem cumpridas, as metas de estudos podem ir por “água abaixo”.

Por isso, a organização impera numa rotina de estudos. Na criação de um planejamento, por exemplo, ela entra, sobretudo, na elaboração de um calendário ou cronograma de preparação adequado à realidade de cada aluno.

E convenhamos: uma pessoa organizada administra muito melhor as tarefas no dia a dia! Aprendizado esse que pode ser levado para outras áreas da vida!

Desenvolvimento de foco e concentração

Após estabelecer um calendário ou cronograma de estudos, com as tarefas de cada dia organizadas e bem distribuídas, os próximos fatores a entrarem em ação são o foco e a concentração!

Escolher as prioridades certas frente a um cotidiano cheio de estímulos e redes sociais pode ser a peça-chave em um plano de estudos. Por isso, determinação e engajamento são inerentes a essa empreitada.

Aquela olhadinha rápida no WhatssApp ou no feed do Instagram estão fora de cogitação! Foco e concentração nos estudos vêm em primeiro lugar num cronograma de estudos, os amigos e o/a crush ficam para o momento de lazer.

Para dar uma ajudinha extra aos estudantes, faça-os relembrar do objetivo em jogo e do resultado almejado!

Confiança em si mesmo

A autoestima também pode ser beneficiada em um plano de estudos certeiro. Isso porque todo o cronograma desenvolvido tem um único responsável: o próprio aluno, que colherá os resultados que semear.

Ou seja, ele pode e deve receber todas as orientações possíveis de seus professores para a montagem de um plano de estudos eficiente, mas a execução, de fato, cabe somente a ele.

Ao notar pequenos e grandes resultados obtidos com uma rotina de estudos, sem dúvidas o gostinho de superar os próprios limites vem à tona, promovendo mais confiança em si mesmo. 

6 dicas para criar (e manter!) um plano de estudos certeiro

Agora que você já sabe ainda mais sobre os benefícios de uma rotina de aprendizado fora das salas de aula, é chegada a hora de colher as principais dicas que podem ajudar os alunos a conquistarem bons desempenhos, seja nas provas, seja nos vestibulares, seja na vida.

Então, mãos à obra!

1. Definir metas e objetivos

Já diz a máxima evidenciada no clássico Alice no País das Maravilhas: “Se você não sabe aonde ir qualquer caminho serve”. Trazendo para o contexto de estudos, o segredo é ter objetivos e metas bem estabelecidas para traçar a rota certa.

E isso serve para conseguir êxito em uma disciplina que o estudante tenha mais dificuldade e até mesmo para alcançar algo em específico.

Realizar uma tarefa com significado é importante e fará a diferença no decorrer do processo.

2. Montar um cronograma de estudos

Todo plano de estudos precisa ter as atividades organizadas em dias e horários. Por isso, é essencial criar um cronograma ou montar um calendário de segunda a sábado integrando as aulas, os estudos em casa, os simulados, horas de descanso e afins.

Existem, inclusive, portais voltados a estudantes que fornecem cronogramas de estudos predefinidos e muitas dicas para a montagem, como o site do Brasil Escola e o Canal do Estudante. Mas lembre-se: cada aluno deve personalizar conforme sua realidade. Afinal, nada adianta criar metas mirabolantes e estipular horas e horas de estudos que não condizem com o dia a dia, e claro, com a sanidade mental.

É preciso criar um cronograma ou calendário com bom senso, que seja possível sua realização.

3. Escolher um local tranquilo

Estudar em um ambiente tranquilo, bem organizado, iluminado e sem distrações também é uma dica de ouro. Em um local confortável, com materiais facilmente ao alcance, onde as tarefas não sejam interrompidas, a produtividade vai a mil.

4. Manter tarefas e/ou horários fixos

O nosso cérebro precisa ser “programado” para incorporar novos hábitos mais facilmente à rotina. De acordo com o psicólogo americano Jeremy Dean, autor do livro Making Habits, Breaking Habits: Why We Do Things, Why We Don’t, and How to Make Any Change Stick, estudos apontam que as pessoas levam, em média, 66 dias para adquirirem um novo hábito, ou seja, para começarem a fazer algo automaticamente.

Se levar em consideração essa informação na hora de montar uma rotina de estudos, o ideal seria manter determinadas tarefas e horários fixos no cronograma, de modo que o cérebro se acostume a realizá-los.

5. Cuidar do corpo e da mente

E isso inclui tempo de estudo, descanso, alimentação e sono. Afinal, estudar é uma atividade que exige bastante, por isso é fundamental cuidar da energia para não se esgotar.

Um plano de estudos também contribui para que o aluno não vire noites estudando. Para aqueles que perdem as horas enquanto estudam uma boa pedida é lançar mão de um timer para alertá-los.

Além disso, já é sabido que o processo de memorização e consolidação da aprendizagem ocorre durante o sono profundo, portanto descansar é mais do que necessário. Sem contar que uma alimentação com aporte ideal de nutrientes também favorece o bom funcionamento do cérebro.

6. Investir em diferentes métodos de estudo e revisões

Por fim, diversos métodos de estudo que podem ir ao encontro de estudantes com diferentes perfis e cotidianos. O mapa mental, por exemplo, é uma forma de visualizar um conteúdo complexo e ramificado.

Outra possibilidade é ir além dos livros. Filmes, documentários, podcasts e aulas on-line também podem ser boas alternativas. Muitos estudantes fixam melhor os conteúdos de forma visual e/ou auditiva.

Além disso, para evitar a temida Curva do Esquecimento, descoberta em 1885 pelo psicólogo e filósofo alemão Hermann Ebbinghaus, as revisões se fazem necessárias. O conceito estabelece três revisões para cada conteúdo estudado: uma 24 horas depois, outra após sete dias e outra depois de um mês.

Por que investir em um plano de estudos?

Diante de tudo o que evidenciamos aqui, fica mais fácil observar como um plano de estudos bem elaborado e certeiro pode ser um aliado e tanto dos estudantes.

Além de favorecer questões comportamentais, como mais organização, disciplina, foco, concentração e confiança em si mesmo, uma rotina de estudos também expande conhecimentos e melhora o desempenho escolar. Ela pode ser levada para a vida como um todo.

Isso porque há muitas chances de os alunos se tornarem mais curiosos e perceberem que o mundo a nossa volta envolve a busca por aprendizados constantes.

A pressão por notas e conquistas de sucesso podem “embaçar essa visão”, mas adquirir conhecimentos e criar hábitos de estudo podem ser encarados como tarefas prazerosas, que estarão sempre à disposição daqueles que se renderem a esse entendimento.

Agora, queremos saber: gostou das dicas? Qual foi a mais promissora, na sua opinião? Ainda vale a pena compartilhar o tema nas suas redes sociais para ajudar cada vez mais estudantes a organizarem um plano de estudos certeiro!

Deixe uma resposta