Educação com afeto: por que é tão urgente?

Ouvir, acolher e criar um ambiente seguro para os alunos são ações essenciais na educação com afeto, tema tão falado e importante neste momento de pós-pandemia

A educação com afeto tem sido um assunto bastante discutido entre profissionais de ensino. Isso porque o conceito pode contribuir com avanços de aprendizagem e até mesmo com a gestão escolar.

O teórico Jean Piaget, estudioso renomado no assunto, defende que “a afetividade é uma condição necessária na constituição da inteligência”. Portanto, sem afeto, não haveria interesse, necessidade, motivação, ou questionamentos que influenciassem a resolução de problemas, por exemplo.

Logo, a educação com afeto, ou seja, o uso da inteligência e das emoções juntos, pode impactar não só os resultados dentro da sala de aula, como também as relações entre os colaboradores da escola.

Então, vamos falar sobre o assunto? Saiba como aplicar esse conceito no dia a dia da sua instituição!

Gestão e afeto: quais os impactos dessa tendência da educação na rotina escolar?

Entre as responsabilidades da gestão escolar estão os cuidados relacionados aos colaboradores. Mas o que a educação com afeto tem a ver com isso?

É que esse conceito engloba não só o que acontece dentro das salas de aula, como também a rotina dos profissionais da educação. Sendo assim, realizar uma gestão afetiva, que preze pelo desenvolvimento pessoal e de todas as pessoas, pode elevar não a qualidade de ensino e muitos outros resultados da instituição.

Para os estudantes, a educação com afeto proporciona mais confiança e maturidade no processo de aprendizagem, bem como o fortalecimento das relações sociais. Ainda estimula a humanização do ensino.

Benefícios da gestão com afeto

Nesse artigo publicado no portal “RH Pra Você” são listados alguns dos principais benefícios da gestão afetiva. São eles:

  • O afeto entre as pessoas pode reduzir a presença de sintomas relacionados a problemas de saúde mental, como indiferença, baixa autoestima, entre outras inseguranças que afetam a produtividade de profissionais e estudantes;
  • Estamos em um momento de retorno às atividades presenciais, e com a afetividade, é possível amenizar os impactos do isolamento social e de outras mudanças que podem influenciar nessa socialização;
  • Essa prática ainda abre portas para que temas como compliance, performance, liderança, trabalho em equipe, diversidade e inclusão sejam discutidos entre as pessoas da escola com mais facilidade;
  • O acolhimento das escolas nesse sentido promove a sensação de pertencimento entre a equipe, melhorando a retenção de profissionais e tornando-os embaixadores da instituição no mercado.
  • Para completar, equipes que trabalham com mais afeto são mais felizes e produtivas, e estarão mais preparadas para lidar com adversidades e desafios.

Como colocar a educação com afeto em prática?

Existem muitas práticas que possibilitam alcançar os benefícios da educação com afeto que apresentamos acima. Afinal, saber ouvir e dialogar com as pessoas respeitosamente, dentro e fora das salas de aula, é fundamental para a evolução do ambiente escolar. A seguir, você aprenderá como aplicar esse conceito tão discutido no ensino em seu dia a dia.

Na gestão escolar

O conteúdo compartilhado pelo coaching José Roberto Marques traz diversos insights sobre como a afetividade pode fazer parte da vida das pessoas, até mesmo das estratégias da gestão da equipe da escola.

Para começar, a educação com afeto se faz presente por meio do reconhecimento. Logo, realize atividades que valorizem os profissionais ao seu redor pelos seus feitos. Saber ouvir e optar por uma comunicação não violenta na troca de informações também é fundamental para tornar a educação com afeto uma realidade. Essa interação com empatia aproxima e acolhe as pessoas.

Além disso, cabe à gestão investir em práticas que valorizem as diferenças, ou seja, respeitem a diversidade e apoiem os profissionais de acordo com suas individualidades. Para completar, a compreensão e os cuidados em momentos de dificuldade são essenciais para que a gestão conclua sua missão de se tornar mais afetiva.

Na sala de aula

Em primeiro lugar, saiba ouvir seus estudantes e usar as informações a favor do aprimoramento pedagógico. Atividades que estimulam a troca de opiniões, como rodas de conversa, apoiam essa decisão de tornar o ambiente de ensino mais afetivo. Vale ainda se manter aberto para receber críticas, pois saber lidar com a opinião do próximo, respeitando e compreendendo as diferenças, é fundamental para um diálogo produtivo.

Finalizando, atente-se aos detalhes: os estudantes se sentem acolhidos e até mesmo mais queridos quando professores lembram de algum gosto pessoal ou de características positivas de suas personalidades, por exemplo.

Com os responsáveis

A educação afetiva também impacta os responsáveis dos estudantes. Isso porque eles estão cada vez mais participativos nas atividades escolares. Pensando nisso, os gestores podem criar mais canais de comunicação para que haja uma troca afetiva de feedbacks.

Saiba ouvir e compreender o que os responsáveis desejam. Afinal, compartilhar informações e questionar sobre o que eles pensam beneficia o dia a dia escolar.

Nesse sentido, o IsCool App tem ferramentas que contribuem com as práticas da educação com afeto. Esse é o caso, por exemplo, dos recursos de engajamento que estimulam a participação dos responsáveis por meio de um canal de comunicação exclusivo.

Além disso, o aplicativo permite a criação de enquetes e pesquisas de satisfação, uma excelente estratégia para ouvir o que os responsáveis têm a dizer e mostrar que suas opiniões importam para a escola. Para saber mais, acesse o site do IsCool App: https://iscoolapp.net/

Ainda vale ressaltar que as práticas de educação com afeto só são reais quando a gestão também investe na organização do trabalho. Isso evita horas extras e sobrecarga, até mesmo o esgotamento mental. Também pense em atividades motivacionais e em criar redes de apoio para colaboradores, estudantes e até mesmo para responsáveis.

Enfim, atividades acolhedoras impactam a qualidade de vida e o ensino. Consequentemente, contribui com a prática da educação com afeto na instituição. Portanto, compreender dificuldades, diferenças e mudar processos para que o respeito seja priorizado são ações fundamentais para que a afetividade aconteça nas relações educacionais.

Deixe uma resposta