O que é e como aplicar a educação climática

Mais que expor o assunto, a educação climática visa engajar os alunos ao tema e fazer com que eles também pensem em soluções; entenda mais sobre essa tendência em sala de aula para 2022

Nos dias de hoje, a educação climática é matéria indispensável em sala de aula, principalmente quando o assunto em pauta é a redução nos índices de aquecimento global. Recentemente, líderes governamentais se reuniram durante a Conferência Climática das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 26) tendo como uma das metas manter o acordo de não ultrapassar o limite de aquecimento estabelecido de 1,5° C na próxima década. 

Entretanto, diferente de somente falar de meio ambiente, a educação climática é crucial para ajudar os alunos a compreender os impactos da crise climática, capacitando-os com habilidades, valores e atitudes necessárias para atuarem como agentes da mudança. 

Um relatório recente da Universidade de Stanford, na Califórnia (EUA) analisou como esse assunto beneficiou os alunos do jardim de infância até a saída do ensino médio, concluindo que 83% dos alunos melhoraram seu comportamento ambiental

Assim, não é sem razão que toda a comunidade internacional reconhece a importância da educação climática. Exemplo disso são a própria COP, o Acordo de Paris (COP 21) e a agenda da Ação para Empoderamento do Clima. 

Inclusive, a Unesco também tem trabalhado para fortalecer a educação climática, incentivando abordagens inovadoras e aprimorando programas de educação. O tema é uma das principais prioridades de sua estrutura global de educação para o desenvolvimento sustentável até 2030. 

A seguir, confira o que é educação climática e dicas práticas de aplicação em sala de aula para 2022.

O que é Educação Climática?

A educação climática é um agente crítico para abordar a questão das mudanças climáticas. Assim, ela pode encorajar crianças e jovens a mudarem suas atitudes e comportamento. Também os ajuda a tomar decisões informadas

De acordo com o coordenador nacional do Movimento Escolas pelo Clima, Douglas Giglioti, é importante que todos os estudantes tenham as competências necessárias para o enfrentamento das crises climáticas. “Fazemos parte da maior comunidade de escolas comprometidas com a pauta climática do Brasil”, explica.

Este movimento conecta educadores, disponibilizando curadoria em conteúdo de educação climática e oferecendo visibilidade para escolas comprometidas com a temática. Para fazer parte, a escola deve tornar-se signatária do movimento, gratuitamente, através do site. 

Na sala de aula, os alunos podem aprender o impacto do aquecimento global e entender como se adaptar às mudanças climáticas. A educação climática capacita todas as pessoas, mas principalmente motiva os jovens a agir.

Temas para seu conteúdo climático

Especialistas apontam para a importância de começar a usar conceitos que até então eram restritos ao meio científico. Estamos falando, por exemplo, sobre:

  • Aquecimento global;
  • Gases de efeito estufa;
  • Energia renovável;
  • Pegada de carbono;
  • Desmatamento;
  • Reciclagem;
  • Empregos verdes;
  • Impostos verdes;
  • Pegada hídrica;
  • Alimentos sustentáveis.

Assim como a familiarização e uso do vocabulário, os especialistas estão enfatizando cada vez mais a importância de educar as crianças em questões ambientais e desenvolver uma cultura de cuidado com o clima.

Como promover a educação climática?

Para promover a educação para as mudanças climáticas, é crucial fortalecer as capacidades de professores e educadores em fornecer informações precisas, integrar conteúdo local, promover pensamento crítico e agir sobre mitigação e adaptação às mudanças climáticas

Isso inclui aumentar sua compreensão do clima e questões de sustentabilidade, bem como ajudá-los a desenvolver as habilidades necessárias e fornecer-lhes orientações pedagógicas.

Algumas organizações trabalham com a questão da educação climática ao redor do mundo já há algum tempo. Confira alguns exemplos:

Fontes para seu planejamento sobre educação climática

  • A Unicef, por exemplo, incentiva a reflexão das crianças no mundo todo sobre o que significa ser uma criança crescendo na era das rápidas mudanças climáticas. 
  • Já a Unesco, por meio do seu programa de educação sobre mudança climática para o desenvolvimento sustentável, visa aumentar a “alfabetização climática” entre os jovens. Um dos exemplos é a pesquisa pública intitulada “O Mundo em 2030
  • A Organização Meteorológica Mundial também produziu uma série de vídeos chamados “Verão nas cidades”, que fornecem uma visão geral dos efeitos futuros do aquecimento global sobre o clima em cidades ao redor do mundo. Os vídeos estão no canal da OMM no Youtube, e são em inglês.
  • Existem também muitos recursos tecnológicos, como a plataforma Educaclima, que oferece aos professores recursos educacionais gratuitos relacionados ao meio ambiente – mudanças climáticas, consumo responsável, energia e mobilidade etc. – que podem ser colocados em prática com as crianças em sala de aula.

Além disso, professores e educadores precisam de materiais dedicados para apoiar suas atividades de aprendizagem sobre as mudanças climáticas. Exemplos de materiais relevantes incluem manuais, guias de recursos para professores, aulas modelos e módulos de treinamento, mas também livros, desenhos animados e vídeos para orientar, inspirar e capacitar alunos. 

4 ideias de cuidado com o planeta envolvendo educação  

1. Tornar o alcance da educação universal uma prioridade urgente em todo o mundo

Primeiro, é preciso considerar a alta taxa de crescimento populacional. Ela não só causa superexploração de recursos naturais, entre outras coisas, mas também é uma das principais causas das mudanças climáticas.

Neste sentido, um segundo e importante ponto é a urgência em aumentar o nível educacional das mulheres (um dos objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU). Esta ação permitiria que a taxa populacional fosse reduzida e chegasse a 8,5 bilhões em 2050, em vez dos 9,1 bilhões previstos atualmente.

Além disso, a educação ajuda as pessoas a se adaptarem às mudanças climáticas, pois melhora sua capacidade de assimilar informações, calcular riscos, se preparar para crises climáticas e se recuperar de seus efeitos.

2. Fortalecer a educação em ciência, tecnologia, engenharia e matemática (STEM)

Neste ponto, envolvemos também assuntos em torno da economia. O ensino nas disciplinas exatas permitirá que os jovens entendam melhor as mudanças físicas em seu ambiente e lhes fornecerá as ferramentas para combater as mudanças climáticas.

Logo, um sistema de ensino nessas matérias também formará e qualificará especialistas para os empregos verdes que serão criados em uma economia verde.

3. Apoiar a oferta de educação ambiental nas escolas

Seja como disciplina autônoma ou como tema transversal ao currículo escolar, é fundamental o cultivo de valores e conhecimentos ambientais entre os jovens para que possam ter uma vida mais sustentável. Entretanto, para estimular sua curiosidade sobre o mundo natural e sua preocupação com a vida no planeta, programas de ensino adequados devem ser promovidos.

4. Construir escolas que reflitam os princípios ambientais

As instalações devem dar o exemplo e usar a energia de forma eficiente, por exemplo, usando energia de fontes renováveis. Devem também promover o uso eficiente da água e oferecer oportunidades de interação com o meio ambiente.

Reflexão necessária

O sucesso desse tipo de iniciativa depende em grande parte dos esforços de alfabetização ambiental entre as populações que muitas vezes não conhecem esses importantes acordos políticos e do desenvolvimento de uma cultura de cuidado com o clima. 

Mas o que exatamente queremos dizer com a alfabetização ambiental? Educar os cidadãos, especialmente as crianças, e conscientizá-los sobre as causas e consequências das mudanças climáticas.

Na verdade, a ONU, como parte de seu compromisso com a educação sobre as mudanças climáticas, afirma que “é tão importante fazer progressos em áreas como a redução das emissões de gases de efeito estufa e formular políticas governamentais eficazes quanto fornecer educação e treinamento para aumentar conscientização em um público tão amplo quanto possível”.

Leia também:

Missão professor: quais são as habilidades mais importantes dos mestres de hoje?

Deixe uma resposta