Missão professor: quais são as habilidades mais importantes dos mestres de hoje?

Para comemorar o Dia dos Professores, vamos relembrar as competências intrínsecas deste profissional que tem o futuro em suas próprias mãos

No dia 15 de outubro, quando se comemora o Dia dos Professores, é tempo de homenagear todos os docentes com a certeza de que sem eles teria sido improvável a educação em tempos de pandemia.

Afinal, foram eles que tiveram que se reinventar, aprender novas tecnologias. Enfim, superar a si mesmos para que a roda da educação continuasse a girar, mesmo com os alunos distantes. 

O ensino a distância obrigou os professores a treinarem o uso de técnicas de informação e comunicação, enquanto os alunos descobriram que o computador também pode ser usado para estudar.

Mesmo com todas as limitações que essa experiência de emergência teve, ela impulsionou uma aceleração positiva de um processo de mudança em nossas escolas.

Agora que as aulas presenciais voltaram, quais habilidades vão permanecer para os professores? Quais são as competências mais importantes dos mestres de hoje? Como o professor pode auxiliar na questão do aluno ser o protagonista do seu próprio aprendizado? É o que vamos ver a seguir.

10 Competências essenciais dos professores

Tendo em vista que identificar competências pós-covid não significa zerar as anteriores, um dos principais desafios dos professores é, portanto, saber quais são as novas competências a serem trabalhadas.

O sociólogo suíço Philippe Perrenoud, por exemplo, identifica dez competências essenciais que todo professor deve ter:

  1. Organizar e planejar situações de aprendizagem;
  2. Criar situações de aprendizagem direta;
  3. Conceber e desenvolver meios de diferenciação;
  4. Envolver os alunos em sua aprendizagem e trabalho;
  5. Desenvolver o trabalho em equipe;
  6. Participar da gestão escolar;
  7. Informar e envolver os pais;
  8. Usar novas tecnologias;
  9. Abordar os deveres e dilemas éticos da profissão;
  10. Gerenciar educação continuada.

Perrenoud privilegia as práticas inovadoras e as competências emergentes, aquelas que deveriam orientar as formações iniciais e contínuas.

São elas também que contribuem para a luta contra o fracasso escolar e desenvolvem a cidadania, recorrem à pesquisa e enfatizam a prática reflexiva. Neste link você encontra mais sobre o assunto.

Habilidades dos professores

Antes da pandemia, o papel de um professor era o de um palestrante que monitorava estritamente o desempenho dos alunos em sala de aula, mas o papel de um professor pós-covid será totalmente diferente.

Com a tecnologia entrando no espaço educacional, uma das maiores características que os professores precisam ter para sobreviver no mundo pós-coronavírus é sua habilidade de ter conhecimento de tecnologia.

A pandemia trouxe enormes transformações digitais, com alunos aprendendo em suas casas e participando de aulas on-line e, mais recentemente, com os alunos aprendendo no formato do ensino híbrido. 

Os professores podem agora explorar novas formas de aprendizagem “combinada”, entre ensino presencial e on-line, para encorajar o envolvimento ativo dos alunos no nível do computador. Isso tudo, mesmo com a retomada total das aulas presenciais, uma vez que atividades digitais e extras ainda serão necessárias. 

Inclusive, você encontra mais artigos sobre o ensino híbrido no Blog do IsCool App:

Melhores práticas para uma alta performance dos alunos no ensino híbrido

Guia da comunicação no ensino híbrido

Tarefas dos professores

Os professores precisam conhecer maneiras únicas de se conectar com os alunos. Mas, em um ambiente habilitado para tecnologia, conectar-se com os alunos não é tão simples. 

Envolver e chamar a atenção do aluno requer muita interação. Ao contrário de uma sala de aula física, os alunos podem se distrair mais facilmente no modo on-line.

Uma conexão emocional com os alunos também é necessária para reter a atenção e despertar o interesse dos alunos, para que o professor possa sempre garantir sua atenção.

Assim, criatividade e empatia são desafios importantes a serem superados pelos profissionais da educação.

Necessidade dos professores

Os professores estão em uma situação sem precedentes na qual devem compensar a perda substancial de tempo de instrução do ano letivo anterior e ensinar o currículo do ano atual. Desta forma, eles também devem proteger sua própria saúde física e mental.

Cuidar de seu bem-estar, praticar o autocuidado, cultivar sua autoestima, buscar ajuda… Em meio a tanta pressão e estresse, a saúde mental do educador deve ser prioridade.

Neste caso, além da ajuda do colégio na figuras dos gestores, é importante que o professor busque o autoconhecimento. Sem contar o cuidado com a saúde física e seu poder energizante.

Novas formas de ensino

Os professores precisam se adaptar às mudanças na maneira como os alunos são ensinados. Ao contrário de um modelo de sala de aula e lousa, as aulas nos novos formatos oferecem um paradigma de ensino totalmente novo que é conduzido por conteúdo e usa ferramentas on-line para ilustrar os assuntos.

Logo, os professores precisam ter habilidades para usar essas ferramentas para se integrar rapidamente a um modelo baseado em inteligência artificial e aprendizado de máquina.

Os alunos agora se acostumaram ao aprendizado rico em tecnologia, o que tornará a transição de volta para uma sala de aula tradicional não apenas difícil, mas possivelmente prejudicial para seu aprendizado.

Mesmo quando a pandemia diminuir completamente e os isolamentos sociais não passarem de lembranças, a aprendizagem assistida digitalmente terá um lugar na sala de aula e em casa.

Não há como voltar para uma sala de aula sem tecnologia

Uma das primeiras coisas que a pandemia destacou em termos de educação é a necessidade de recursos on-line e digitais. Embora uma transformação digital fosse inevitável, o aprendizado em casa acelerou consideravelmente o que teria sido uma transformação gradual.

Mesmo que a tecnologia seja frequentemente vista como a maldição da existência dos pais, ela também pode aumentar consideravelmente o potencial de aprendizagem de uma criança.

Antes da pandemia, grande parte do currículo se concentrava no desenvolvimento de habilidades de vida tradicionais que farão com que as crianças cresçam e se tornem adultos funcionais em um mundo sem pandemia.

Depois da pandemia, no entanto, esse foco mudou para habilidades de vida adequadas a um mundo imprevisível e em rápida evolução.

Os currículos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) estão sendo adaptados para agora também desenvolver habilidades como inteligência emocional, resiliência e empatia ao lado de habilidades mais convencionais, como boa comunicação.

Parabéns, professor!

Como vimos, a pandemia Covid-19 impactou o sistema educacional de várias maneiras. Embora tenha havido várias interrupções e fatores estressantes para lidar, há também uma série de coisas positivas que resultaram da situação, entre elas, a presença imprescindível dos nossos professores.

Assim, finalizamos essa matéria com um grande muito obrigado aos mestres! Parabenizamos também pelo dom de ensinar e se reinventar e desejamos que muita realização ainda se faça em suas jornadas. A vocês, todo nosso apoio.

Deixe uma resposta