O homeschooling no Brasil

Entenda mais sobre a mais recém-aprovado opção de ensino no Brasil, e saiba por que as ferramentas de TE serão tão importantes para quem deseja optar pelo homeschooling


O homeschooling ou educação em casa é um movimento progressivo em todo o mundo, no qual os pais educam seus filhos em casa em vez de mandá-los para uma escola pública ou privada tradicional. 

As famílias optam por deixar seus filhos estudarem em casa por vários motivos, incluindo insatisfação com as opções educacionais disponíveis, diferentes filosofias religiosas ou educacionais e a crença de que as crianças não estão progredindo dentro da estrutura escolar tradicional. 

No Brasil, a prática ganhou força após o Projeto de Lei 3262/19 ter sido aprovado pela Câmara dos Deputados em junho deste ano. Basicamente, a nova lei prevê alteração no Decreto-Lei nº 2.848, do Código Penal, a fim de prever que o homeschooling não configure crime de abandono intelectual. O texto agora segue para análise pelo Plenário.

Mas, o que é homeschooling?

O movimento do homeschooling começou a crescer na década de 1970, quando alguns autores e pesquisadores norte-americanos – como John Holt e Dorothy e Raymond Moore – começaram a escrever sobre a reforma educacional. Eles sugeriram a educação em casa como uma opção educacional alternativa.

Nos Estados Unidos, por exemplo, são mais de 2 milhões de crianças estudando em casa, sendo uma prática legal em 50 estados. Outros países também já adotam a prática, como o Canadá, no qual a comunidade de homeschoolling também é grande. 

A brasileira Atussa Hemmaty Silvino, por exemplo, hoje mora no Canadá e optou pelo homeschooling há 3 anos para seus quatro filhos. “Nossa intenção era ter a liberdade de fazer as coisas no nosso tempo e também viajar ao longo do ano”, diz.

Mãe de Anissa, de 8, Brian, de 6, Alina, de 4 e Brennan, de 3 anos, Atussa afirma que a vantagem é que ela consegue dar atenção específica para cada criança de acordo com suas necessidades. “Não temos intenção de forçar uma regra. Todo ano fazemos uma avaliação e decidimos prosseguir ou não”, relata ela que planeja colocar os dois filhos mais velhos na escola pública em 2022.

Como funciona?

No Canadá, o homeschooling tem diferentes formatos: pode ser o ensino conduzido por professores (teacher led)  ou pelos pais (parent led). “Pode ser 2 dias na escola, pode ser on-line, pode ser com trabalhos ou não”, explica Atussa que optou pelo ensino conduzido por professores, lá chamado de teacher led

“Estamos vinculados a uma escola privada que nos envia uma caixa de materiais no começo do ano e as atividades pras crianças fazerem a cada mês. No fim do ano, as crianças têm que fazer uma prova de matemática e escrita”.

Segundo Atussa, existem muitas atividades extracurriculares para permitirem a parte social. “Essas atividades são oferecidas pelas academias, escolas e também voluntariadas pelos pais. Eu divido essas atividades em nossa rotina de estudos em 1 hora por dia ou então um dia por semana. Os maiores desafios são buscar matérias adicionais para ensinar um assunto ou conciliar as diferentes necessidades de cada um”, conta ela. 

Como será homeschooling no Brasil?

Como vimos, no Brasil o homeschooling está só começando. Caso a prática entre em vigor definitivamente, uma das regras é de que o aluno precisa estar matriculado em uma escola e que o tutor deve ter formação superior e um aval para isso.


No Canadá, também é necessário que o aluno esteja vinculado a uma escola e “aí você escolhe o estilo de homeschooling que você quer fazer e que aquela escola apoia”, comenta Atussa.

Lá, a educação em casa não fornece diploma e, por isso, no fim do último ano escolar, o aluno tem que fazer determinadas provas para se diplomar.

“Por outro lado, na América do Norte, você não precisa ter diploma escolar para entrar na faculdade.
Eles aceitam entrada por pontuação em algumas matérias específicas e portfólio que a criança montou durante os anos de aprendizagem. Aqui o tutor não necessita ter formação nenhuma”, explica ela. 

A grande dúvida em relação ao homeschooling no Brasil deve-se ao fato de que muitos pais podem usar isso como uma ferramenta de exclusão da criança na sociedade. “Mas, considerando que a sociedade está caminhando em direção ao home office, flexibilização no horário de trabalho, acho que o mesmo deve ser feito em relação às crianças”, conclui. 

Como a tecnologia educacional (TE) pode ajudar no homeschooling?

O período da pandemia acabou forçando os pais a praticarem a educação em casa e, graças às Tecnologias Educacionais (TE), foi possível que os alunos continuassem seus estudos. Caso o homeschooling seja colocado em prática no Brasil, a TE certamente será o alicerce para muitas famílias que terão suporte pedagógico necessário.

A verdade é que o homeschooling terá de se tornar mais orientado para a tecnologia se quiser sobreviver no século 21.

A educação em casa precisará oferecer os mesmos serviços que escolas públicas e privadas já oferecem. Esses serviços incluem oferecer aos alunos a capacidade de aprender sobre novos aplicativos de programação, por exemplo, que os tornarão mais preparados para o mercado de trabalho. 

A gameficação, em particular, já tem transformado as maneiras como alunos e educadores abordam a aprendizagem. Em vez de o pai coagir os filhos a fazerem o dever de casa, eles mesmos optam por fazê-lo porque se divertem com isso. Com a entrada do homeschooling, isso será muito vantajoso para os pais.  

A comunicação das escolas com os pais que terão seus filhos estudando em casa deverá ser por meio digital. Nesse sentido, muitos colégios já estão equipados com aplicativos que substituem a agenda de papel e oferecem muito mais utilidades do que uma simples agenda.

É o caso do IsCool App que promove a comunicação entre colégios e famílias, além de oferecer módulos como Matrícula Digital, Lição de Casa, entre outros.

Leia mais em:

Os benefícios do videogame para o desenvolvimento educacional

Como diminuir as perdas educacionais da pandemia?

Inteligência Artificial na educação

4 metodologias ágeis ideais para a educação e para transformação de seu colégio

Expectativa para o segundo semestre de 2021

Deixe uma resposta