Novo ensino médio x pandemia

Novo ensino médio e as mudanças para 2022

Como fica a implantação do novo ensino médio nesta realidade de pandemia e educação híbrida? O que esperar das escolas, professores e alunos?

Muito tem se falado no novo ensino médio, mas com a nova realidade diante da pandemia, ainda existem muitas dúvidas quanto à implantação pelas escolas.

O Ministério da Educação anunciou recentemente o cronograma do novo ensino médio para as escolas públicas e privadas a partir do ano que vem e de forma gradual, com aumento de uma aula a mais por dia e nova estrutura curricular.

Pois a nova grade do ensino médio será implantada de forma progressiva, iniciando com o primeiro ano. Em 2023, será a vez do segundo ano. A meta é alcançar as três séries do ensino médio em 2024.

Mas ainda são tantas perguntas…  

Mesmo com o cronograma já estabelecido, a mudança ainda traz muitos questionamentos.

Afinal, com o retorno das aulas presenciais, o ensino híbrido será mantido? Como será possível correr com as mudanças e ainda recuperar os dados causados pela pandemia aos estudantes?

No caso do estado de São Paulo, por exemplo, o governo já afirmou que sim e que tem a previsão de contratar mais 10 mil professores para a rede estadual por conta do aumento da carga horária.

Mas, o que mais muda em relação ao novo ensino médio? O Blog do IsCool App traz mais informações para ficarmos com as mentes tranquilas e nossos corações em paz! Confira:

Novo ensino médio na teoria

Basicamente, o ensino médio passará a ser estruturado em dois grandes blocos:

  • Currículo geral básico: Terá como referência a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e define competências e habilidades para quatro áreas do conhecimento (Linguagens e suas tecnologias, Matemática e suas tecnologias, Ciências da Natureza e suas tecnologias e Ciências Humanas e Sociais Aplicadas);
  • Itinerários formativos: Oferecem a possibilidade de o estudante se aprofundar em uma ou mais áreas de conhecimento e/ou na formação técnica e profissional.

E quanto ao Enem?

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), usado no processo seletivo para o ingresso em diversas universidades, também será atualizado. Sua aplicação conforme as diretrizes será em 2024.

Se você está em busca de mais informações sobre o novo ensino médio, nossa dica é consultar o site oficial sobre o tema. 

Inclusive, o blog do IsCool App já abordou o assunto quando houve a aprovação do novo ensino médio: 

Especial BNCC: As mudanças do Ensino Médio e a reta final para adequações

Protagonismo do aluno

Com a pandemia, a evasão escolar tornou-se um problema ainda mais grave, principalmente no ensino médio. POis acredita-se que com o novo ensino médio e os itinerários formativos, os estudantes regressem à escola por conta da união das demandas do mercado com os interesses de vida dos alunos.

De fato, o novo ensino médio permitirá ao aluno a possibilidade de escolher algumas disciplinas, tornando o aprendizado mais significativo. Dessa forma, o estudante poderá ter o protagonismo de fato em relação aos estudos e estar assim em sintonia com o seu projeto de vida.

Com essa nova proposta, pode-se enxergar muitas possibilidades de criar um ensino médio em que os alunos realmente vão gostar de estudar: um ensino de qualidade, que seja motivador.

Assim, nesse cenário, o estudante passa a ser protagonista do seu processo de ensino e aprendizagem, possibilitando que ele faça a escolha do que deseja estudar.

Performance no novo modelo de ensino médio

Estudos do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA) revelam que, no Brasil, 43% dos estudantes estão abaixo do nível básico de proficiência em três áreas avaliadas, sendo 55% em Ciências, 68% em Matemática e 50% em Leitura. 

Esses dados reforçam a necessidade de reformular o ensino e criar experiências capazes de elevar esses resultados de aprendizado e de traçar soluções para os danos causados pela pandemia na educação, uma vez que os jovens são um dos grupos mais afetados por causa da evasão escolar e do desemprego. 

Segundo pesquisa divulgada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), os trabalhadores com idade entre 18 e 24 anos foram os mais prejudicados pelo desemprego recorde. São mais de 4 milhões de jovens que estão sem ocupação.

O problema é ainda maior para aqueles com ensino médio incompleto, enquanto a ocupação dos que têm ensino superior cresceu. 

Muita tecnologia

Após a pandemia, quem ainda não fazia uso de tecnologia computacional nas práticas educativas teve que se adaptar.

Agora com a implementação gradual do novo ensino médio não será diferente: os professores precisam estar abertos a essas novas tecnologias e às mudanças de carga horária e curriculares. 

Afinal, as tecnologias que hoje são utilizadas no Ensino Híbrido já foram adotadas pela geração de hoje e será necessário acompanhar.

Ensino híbrido

Com o novo ensino médio, as escolas provavelmente adotarão por mais tempo o ensino híbrido, uma vez que terão que aumentar a carga horária.

Antes do Covid-19, muitos profissionais da educação eram contra o ensino híbrido, mas, atualmente, professores e alunos estão mais preparados para o ensino a distância, que será facilitado com o novo ensino médio. 

Além disso, no ensino presencial podemos ter turmas com alunos de diferentes idades fazendo parte da mesma sala de aula, reunidos de acordo com seus interesses.

Nesse sentido, os professores deverão repensar sua prática e principalmente seu conteúdo. Muitos estados, como São Paulo, vão possibilitar que professores ajudem na elaboração dos itinerários formativos.

Daí, nada mais prático que o auxílio da tecnologia para orientar os docentes nesse novo percurso de aprendizagem. 

Sua escola já está preparada para o novo ensino médio?

Quer saber mais sobre o ensino híbrido? Aproveite os artigos já postados no blog do IsCool App sobre esse tema:

Como avaliar os alunos em tempos de ensino híbrido e EAD

Melhores práticas para uma alta performance dos alunos no ensino híbrido

Guia da comunicação no ensino híbrido

Ensino Híbrido na prática

4 funcionalidades essenciais do app escolar para o Ensino Híbrido

Deixe uma resposta