Os benefícios do videogame para o desenvolvimento educacional

Do console para a vida, conheça os jogos de videogames que mais estimulam positivamente crianças e jovens em suas jornadas

Houve um tempo em que eles foram os vilões, apontados como má influência para as crianças. Hoje, os jogos de videogame ganham cada vez mais papel fundamental na educação. Isso porque oferecem diversos benefícios para o desenvolvimento infantil, se direcionados da forma correta. Especialmente durante a pandemia, os benefícios do videogame para alunos foram visíveis.

Os jogos foram utilizados pelos professores como material de apoio pedagógico durante o ensino a distância e puderam até mesmo salvar a sanidade mental de crianças e adolescentes durante o isolamento social. Exemplo disso é que a própria OMS recomendou videogames ativos como uma forma de se manter saudável em casa, mesmo com restrição para se movimentar ao ar livre.

A Unicef também recomenda videogame para educação já há alguns anos. Tanto que através do seu Fundo de Inovação, promove parcerias para obter, avaliar e aprimorar os jogos como parte do seu portfólio de aprendizagem. Descubra a seguir os seis principais benefícios do videogame para o desenvolvimento educacional:

1. Leitura

Estudos mostram que crianças que jogam videogame podem aumentar suas habilidades de leitura. Mesmo para crianças que têm dificuldade em ler. Isso pode acontecer porque as crianças precisam descobrir instruções em texto para jogar.

Crianças que relutam em abrir um livro tradicional podem correr para ler um site ou fórum na Internet para obter as últimas novidades sobre seu jogo favorito. Vale lembrar que isso não significa que os videogames devam substituir os livros.

2. Habilidades visuoespaciais

Muitos jogos como Minecraft, por exemplo, são ambientados em mundos virtuais 3D nos quais as crianças precisam navegar. O resultado é que elas têm a chance de praticar suas habilidades visuoespaciais. Isso pode levar a uma melhor compreensão da distância e do espaço.

As habilidades visuoespaciais são necessárias para a execução de diversas tarefas de vida diária que envolvem a percepção e manipulação de informações espaciais, como dirigir, andar de bicicleta, traçar uma rota para chegar em algum lugar, entre outras.

3. Resolução de problemas

Em cada jogo de videogame existe um desafio. Alguns jogos podem ser apenas para diversão. Mas muitos outros – de quebra-cabeças ao gerenciamento de cidades virtuais – oferecem às crianças a chance de resolver um problema e trabalhar para encontrar uma solução.

Alguns pesquisadores dizem que as crianças que jogam esses videogames melhoram em três áreas: planejamento, organização e pensamento crítico.

4. Conexões sociais

Algumas crianças têm problemas para se encaixar e fazer amigos na vida real. Os videogames podem ser um refúgio para eles encontrarem pessoas com as quais se conectar de maneira positiva.

Os videogames também dão às crianças algo para falar na escola. Hoje em dia, os jogos são o principal tópico de conversa das crianças, assim como esportes e música. O interesse por jogos pode ajudar crianças que têm dificuldade em encontrar tópicos para discutir.

5. Jogo imaginativo e criatividade

Também há evidências de que os jogos estimulam o pensamento criativo. Em um estudo, jogadores de 12 anos foram convidados a desenhar, contar histórias, fazer perguntas e fazer previsões. Todas as crianças demonstraram alto nível de criatividade e curiosidade.

6. Carreiras em videogames

A indústria de videogames está crescendo rápido. Para se ter uma ideia, o prêmio para o vencedor da Copa do Mundo Fortnite gira em torno de milhões de dólares. Existem muitas carreiras nesta indústria em crescimento, o que mostra que crianças que jogam videogame hoje podem se tornar profissionais muito bem pagos nessa área futuramente.

Agora, como a escola pode utilizar o videogame para a educação?

Hoje, um dos grandes desafios dos professores é dialogar com a chamada geração “gamer” e com vários comportamentos que os alunos trazem para o cotidiano escolar. Uma das estratégias pedagógicas que pode facilitar nesse diálogo de gerações e de linguagens diferentes é a gamificação.

A gamificação é, basicamente, usar ideias e mecanismos de jogos e brincadeiras para incentivar os alunos. Especialmente com a educação a distância, ela ganhou fôlego. A ideia é criar uma motivação intrínseca, em que o aprendizado acontece de forma lúdica, sem separação entre a teoria e a prática.

Ela ocorre por meio de jogos eletrônicos e também analógicos. Na educação, o potencial da gamificação é imenso: funciona para despertar interesse, aumentar a participação, desenvolver criatividade e autonomia, promover diálogo e resolver situações-problema. Para fazer uso da gamificação, a escola pode optar em utilizar jogos prontos ou mesmo criar os seus próprios.

Quer tornar suas aulas mais atrativas e produtivas? Então pense em utilizar jogos de videogame no seu plano pedagógico caso ainda não tenha pensado nessa possibilidade. Utilize elementos dos videogames ou jogos prontos para promover a aprendizagem.

Jogos prontos

Um dos jogos de videogame bastante utilizado para esse fim é Minecraft. Com visual bem característico no formato de blocos, ele abre as portas para muitas atividades de ensino. Inclusive existe até um site voltado para a escola chamado “Minecraft Edu“, bem como uma grande comunidade online de professores que usam o jogo.

Além dele, os professores podem contar com grande variedade de opções. Para o ensino sobre Segunda Guerra Mundial, que tal “Call of Duty” e “Medal of Honor”? Até mesmo os conhecidos pássaros do Angry Birds podem ajudar os alunos a conhecerem pesos e formatos diferentes, além de conceitos de Física, como o arremesso.

É inegável que podem ocorrer certos malefícios relacionados aos jogos de videogame. Em geral, tais problemas estão associados a inadequações em relação à faixa etária da criança ou adolescente  (por isso, é importante sempre observar a classificação indicativa do game) ou à falta de limites (horas excessivas de tela, por exemplo).

De qualquer forma, os benefícios do videogame na educação são maiores e as escolas podem – e devem – aproveitar essa ferramenta que atrai e retém a atenção dos alunos, ao mesmo tempo que instiga a curiosidade e ensina de maneira não enfadonha. E a sua escola? O que tem feito nesse sentido? Deixe nos comentários!

Deixe uma resposta