Inteligência Artificial na educação

Qual o nível de tecnologia com base em IA que já nos rodeia e quanto ainda devemos avançar nesse sentido nos próximos anos

Certamente, você já deve estar usando algum tipo de Inteligência Artificial (IA) no seu plano de ensino escolar. Caso ainda não, deve estar pensando na possibilidade.

Agora, é a IA na educação quem domina o debate e começa a alterar as instituições educacionais e o futuro do ensino mundial. Só nos Estados Unidos, a IA na educação tem projeção de crescimento em torno de 48% até 2022.

De acordo com o relatório da empresa americana Research and Markets, um fator que influencia o crescimento deste mercado é a ênfase em caminhos de aprendizagem personalizados usando IA. Os professores estão cada vez mais confiantes nas tecnologias para coletar dados dos alunos e obter insights acionáveis sobre o desempenho deles para tomadas de decisões.

Mas, o que é IA e como ela está ajudando na evolução da educação?

Inteligência Artificial (IA) é um campo da ciência da computação no qual as máquinas realizam tarefas equivalentes às do cérebro humano, tais como aprender e raciocinar. Aplicada à educação, sua contribuição está em sua capacidade de apoiar caminhos de aprendizagem personalizados uma vez que ela é capaz de coletar dados.

Talvez a maneira que mais exemplifica sua aplicação hoje seja a realidade aumentada, através de óculos inteligentes. Porém, as tecnologias educacionais não param aí. Algumas das ferramentas de IA já utilizadas pela educação são:

  • Criatividade computacional;
  • Robótica inteligente educacional;
  • Óculos Inteligentes;
  • Fones de ouvidos tradutores;
  • Learning analytics;
  • Ética computacional.

No Brasil, a projeção dos especialistas reunidos pelo Sesi e Senai é que a computação em nuvem, para acesso a um conjunto compartilhado de dados e conteúdos, deve ter a difusão mais rápida. Até 2027, o uso estará difundido em cerca de 31% a 50% das escolas e de 51% a 70% das instituições a utilizarão por volta de 2030.

As outras tecnologias que deverão ser utilizadas por 31% a 50% das instituições de educação brasileiras até 2030 são:

  • Sistemas tutores inteligentes para ensino personalizado com processamento de língua natural;
  • Plataformas para aprendizagem colaborativa;
  • Recursos de learning analytics;
  • Ecossistemas de educação – que permitem a integração de componentes típicos de ensino personalizado com a comunicação em fóruns e chats, por exemplo, entre alunos que estejam utilizando o sistema.

Como a IA tem sido trabalhada em sala de aula

Alunos e professores estão enfrentando um mundo de mudanças constantes e cada vez mais rápidas. Aqueles que agora estão saindo do ensino médio nunca conheceram um mundo sem internet e telefone celular. No futuro, o mercado de trabalho exigirá cada vez mais profissionais preparados para atuar em conjunto com a inteligência artificial, desde o chão das fábricas até os escritórios das startups.

De acordo com  publicação da Unesco em parceria com o Ministério da Educação, Impactos da difusão da Inteligência Artificial (IA) na educação técnica de nível médio, a inteligência artificial é uma tecnologia com potencial de alteração, “capaz de impactar toda a estrutura ocupacional da economia”. Sua difusão exigirá um novo conjunto de competências e habilidades transferíveis, necessárias para que os profissionais entrem, permaneçam ou reingressem no mercado de trabalho.

Atualmente, na educação existem vários sistemas, como sistemas para a gestão escolar e sistemas que atuam no processo de ensino e aprendizagem. No caso da gestão escolar, a plataforma baseada em IA, associada a outras informações – como históricos escolares (do curso que realiza no momento e de trajetórias escolares pregressas) e comportamento em redes sociais – pode antecipar ou reforçar determinados conteúdos (pílulas de conhecimento), e prever, por exemplo, a probabilidade de o aluno abandonar o curso.

Já para o sistema de ensino e aprendizagem, o modelo está organizado para que o aluno, ao entrar em uma plataforma de ensino, gere informações sobre seu processo de aprendizagem, ao demonstrar uma dificuldade ou facilidade diante de determinado conteúdo.

A IA aplicada à educação oferece, principalmente, algumas ferramentas que ajudam a desenvolver habilidades e sistemas de teste. Por exemplo, em algumas áreas específicas, como matemática e física, já foi demonstrado que os sistemas de tutorias inteligentes melhoram a aprendizagem.

Futuro da IA no Brasil e no mundo

À medida que a IA fica mais sofisticada, pode ser possível para uma máquina ler a expressão que passa no rosto de um aluno que indica que ele está lutando para entender um assunto e modificará uma lição para responder a isso. A ideia de personalizar o currículo para as necessidades de cada aluno não é viável hoje, mas será para máquinas movidas a IA.

Embora as máquinas já possam avaliar testes de múltipla escolha, elas também estão muito perto de avaliar as respostas escritas. À medida que a IA entra em ação para automatizar as tarefas administrativas, abre mais tempo para os professores passarem com cada aluno. Há muito potencial para a IA criar processos de matrícula mais eficientes.

Os programas de tutoria e estudo estão se tornando mais avançados graças à inteligência artificial e, em breve, estarão disponíveis em maior escala e capazes de responder a uma variedade de estilos de aprendizagem. Pergunte a qualquer pai e mãe que tiveram dificuldade em ajudar seu filho durante a pandemia, e eles ficarão muito entusiasmados com o potencial da IA para apoiar seus filhos quando eles tiverem dificuldades com as lições de casa ou as provas bimestrais.

A IA pode gerar eficiência, personalização e agilizar as tarefas administrativas para permitir que os professores tenham tempo e liberdade para fornecer compreensão e adaptabilidade – capacidades exclusivamente humanas onde as máquinas teriam dificuldade.

Em outras palavras, os resultados da aprendizagem não dependem exclusivamente da tecnologia. Depende de como os professores podem usar a tecnologia de maneiras pedagogicamente significativas. Uma abordagem apropriada, portanto, é projetar em conjunto os usos da tecnologia com os professores.

Para saber mais sobre inteligência artificial, leia os artigos já publicados no blog do IsCool App sobre o assunto:

GUIA DA EDUCAÇÃO 5.0: novas tecnologias e metodologias

Educação do futuro e o papel da escola

Tendências do Futuro: o ensino de habilidades de vida

Futuro do trabalho: o que as escolas precisam saber

A educação pode ser um pouco mais lenta para a adoção da inteligência artificial e do aprendizado de máquina, mas as mudanças estão só começando.

Deixe uma resposta