Como avaliar os alunos em tempos de ensino híbrido e EAD

O jeito de ensinar mudou e o de avaliar os alunos também; conheça ferramentas e processos que os colégios podem lançar mão nesta importante tarefa de monitoramento

À medida que as escolas começam a reabrir, os desafios da avaliação de alunos no ensino híbrido também vão surgindo. Afinal, como mensurar a qualidade do aprendizado diante de tantas especificidades? Se o ensino mudou, quais são as novas estratégias avaliativas a serem consideradas hoje? 

No curto prazo, as escolas precisam garantir que os alunos sejam avaliados considerando possíveis perdas de aprendizagem e uma maneira de compensá-las. A longo prazo, mudanças permanentes nos sistemas educacionais poderão ser observadas.

Isso não só requer adaptação ao uso de tecnologia, como também força as escolas a avaliar o trabalho dos alunos com precisão, de forma que eles possam melhorar suas habilidades acadêmicas e desempenho.

A seguir, vamos saber mais sobre como avaliar alunos no ensino híbrido com qualidade.

Avaliação de alunos no EAD

De acordo com pesquisa da Unesco, a maioria dos países implementou medidas relacionadas ao Ensino a distância. Escolas assumiram o ensino híbrido em geral, no qual a educação é realizado remotamente e presencialmente.

Antes da pandemia, apenas 20% dos países tinham recursos digitais de aprendizagem, enquanto somente 10% tinham capacidade de aprendizagem digital mais robusta. Isso mostra como as escolas tiveram que avançar rapidamente para o EAD a fim de garantir a continuidade da aprendizagem.

Porém, o objetivo de avaliar os alunos como era feito no ensino presencial foi interrompido. Com a implementação do EAD e ensino híbrido, as escolas estão buscando outras formas de fazer isso, como, por exemplo, através de um trabalho ou tarefa individual para que o aluno consiga enviar on-line.

De qualquer forma, a avaliação é importante para os professores por ser “um meio de tornar os atos de ensinar e aprender produtivos e satisfatórios”, segundo o Doutor em Educação Cipriano Luckesi, em seu livro Avaliação da Aprendizagem Escolar (Editora Cortez).

Para ele, que é uma referência em avaliação de aprendizagem escolar no Brasil, a partir da avaliação é que entra a análise e a tomada de decisão sobre “o que fazer”, por isso, a avaliação deve ser contínua e não apenas o fim do processo.

Formas de avaliação dos alunos no ensino híbrido

Especialistas indicam que a melhor forma de avaliação no ensino híbrido é a partir de trabalhos de pesquisa ou tarefas. O exame on-line e de múltipla escolha deve ser a última opção. Caso a escola ainda dê preferência para esse método mais tradicional de avaliação, deve considerar alguns detalhes antes de aplicar a prova:

1. Crie regras e instruções claras e específicas para que os alunos saibam exatamente o que fazer

A avaliação dos alunos no ensino híbrido geralmente é motivo de ansiedade, uma vez que tudo é novidade. Uma forma de reduzir o estresse é comunicando claramente as regras e instruções antes do exame para que não haja surpresas.

A comunicação pode ser feita através do aplicativo de comunicação escolar. Por exemplo, se o professor quiser que os alunos expliquem com suas palavras cada questão, a escola deve certificar-se de enviar antecipadamente um comunicado aos pais e alunos para que todas informações sejam declaradas de forma explícita.

As regras podem incluir quanto tempo os estudantes terão para realizar o exame, se podem ou não salvar e terminar mais tarde, se precisam guardar todos os dispositivos móveis ou se é um exame com consulta. Vale também fornecer todos os detalhes: quanto valerá cada questão, o que o aluno deverá revisar antes da prova e assim por diante.

2. Reduza a chance de oportunidades de “cola”

O professor pode e deve limitar sua avaliação para uma tentativa apenas. Ou seja, o aluno deve terminar o exame, revisar e enviar. Caso não revise, não terá outra chance de encaminhar. É possível também determinar um período de tempo para o acesso ao exame, assim fica mais difícil o aluno consultar outras fontes, como a internet.

É indicado que o professor embaralhe as questões ou crie várias versões da avaliação para atribuir aleatoriamente aos alunos. Outra forma de evitar trapaças é pedir que os alunos justifiquem suas respostas, adicionando um campo de respostas dissertativas. Invés de perguntas do tipo Verdadeiro ou Falso, o professor pode dar preferência às respostas dissertativas.

3. Certifique-se que os alunos poderão completar a avaliação dentro do tempo permitido

É importante ter em mente que os alunos não têm os conhecimentos e habilidades tão bem quanto o professor, por isso vale permitir mais tempo do que seria o esperado para completar cada questão. Se possível, o professor pode pedir a um outro colega para revisar a sua prova antes que seja hora de administrá-la.

4. Alinhe as perguntas da avaliação para os resultados de aprendizagem

Independentemente de a avaliação ser on-line ou no papel, o professor deve usar os objetivos de aprendizagem como seu guia enquanto desenvolve as questões.

Por isso, vale a pena determinar quais tipos de perguntas ou itens melhor refletem esses objetivos. Por exemplo, se o objetivo exige que o aluno analise um poema, então uma questão dissertativa seria uma escolha mais lógica e eficiente, enquanto uma questão de múltipla escolha normalmente não seria a maneira mais eficiente de medir a capacidade crítica de um aluno.

5. Os valores de pontuação devem se basear na complexidade e dificuldade das perguntas

Se a avaliação tiver uma pergunta de múltipla escolha, o professor deve considerar atribuir pontuação parcial para cada parte da questão se o sistema permitir. Para conjuntos de problemas de matemática ou ciências, permita que os alunos mostrem seu trabalho, como enviar uma foto de suas lições ou descrever os passos que tomaram para resolver um problema ou completar um processo.

Percepção e desenvolvimento socioemocional

A avaliação de um aluno é importante, mas também vai muito além de qualquer estratégia pronta, pois tem que considerar uma visão holística do aprendizado e do desenvolvimento, inclusive enquanto crescimento socioemocional e de percepção de mundo.

Aproximação, empatia e compreensão também são importantes sentimentos a que o professor com experiência deve lançar mão na hora de avaliar. De um jeito ou de outro, cada profissional da educação é responsável por cultivar sua própria identidade e estrategia de avaliação e de contribuição à vida do aluno.

Para saber como o IsCool App pode ajudar nessa tarefa, com módulos como o Lição de Casa, mensagens diretas e mesmo a integração com seus sistemas de gestão e avaliação, clique aqui.

E se você quer acompanhar outras pautas referentes a ensino híbrido, não deixe de acompanhar as matérias:

Deixe uma resposta