5 aprendizados de 2020 para a educação

Uma retrospectiva deste ano tão incomum para o setor e as lições que levaremos para 2021 e para o resto de nossas vidas docentes

Todos os desafios que vivemos na educação em 2020 trouxeram muitos aprendizados para 2021. Por isso, é importante relembrar as principais mudanças dos últimos meses. Pois, com certeza, elas influenciarão as decisões que estão por vir no novo ano.

Tudo corria bem na educação em 2020, até março. A partir deste mês, começou a paralisação das aulas por todo o Brasil. Enquanto, pelo mundo, conforme lembrado em publicação do Guia do Estudante, a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) iniciava a contagem global sobre os impactos do coronavírus na educação mundial. Naquele mês, já era possível contabilizar consequências em 22 países de três continentes.

Então, as escolas passaram a fechar as portas. E, como solução para a suspensão das atividades presenciais, surgiram as aulas remotas, com milhões de pessoas transformando suas casas em ambientes de ensino.

Ao chegar em outubro, o CNE (Conselho Nacional de Educação) aprovou a permissão das aulas remotas até dezembro de 2021. Entretanto, atualizou a decisão para que esta forma de ensino continue enquanto durar a pandemia. Além disso, o início das aulas presenciais nas universidades foi postergado pelo MEC (Ministério da Educação) para 1 de março.

Sendo assim, o que podemos prever na educação em 2021 é que muitas redes de ensino permanecerão on-line ou ativas de forma híbrida. Outras, por sua vez, retomarão as atividades presenciais com apoio dos governos, como em São Paulo, Rio Grande do Sul e Espírito Santo, conforme publicado nesta matéria da Folha de São Paulo recentemente.

Muitas instituições e famílias acreditam que o fechamento das salas prejudica o aprendizado e a saúde física e mental dos estudantes, enquanto a reabertura não ofereceria riscos, porque o ambiente escolar é considerado seguro.

Independente do desfecho e das opiniões, o fato é que já iniciamos 2021 com um novo olhar. Vamos retomar aqui os ensinamentos da educação de 2020 para o futuro.

5 principais ensinamentos da educação em 2020 para 2021

O que as mudanças que ocorreram na educação em 2020 têm a nos ensinar? Com tantas novidades, pudemos obter muitos aprendizados. Entretanto, como eles devem influenciar as decisões do setor em 2021? Para esclarecer estas questões, listamos em 5 tópicos os principais ensinamentos que este ano atípico trouxe para a evolução do ensino no Brasil e no mundo. Confira!

1. Explorar a criatividade

A criatividade dos profissionais reinou na educação em 2020. E esta deve permanecer ainda mais presente nas atividades de 2021. Isso porque o ensino híbrido, que integra a educação on-line e off-line, segue como a principal solução para manter a atualização dos alunos.

Desta forma, devido ao cenário de imprevisibilidades, os educadores precisam continuar adotando estratégias criativas para colocar o ensino híbrido na prática, conforme já abordamos aqui no blog.

E, neste sentido, o formato oferece a vantagem de os profissionais proporcionarem aos alunos uma participação nas aulas com maior autonomia. Agora, a tendência é incentivar os estudantes a tomarem suas próprias decisões e cumprirem com suas tarefas de forma mais ativa.

Com criatividade, é possível explorar várias metodologias ativas de ensino no modelo híbrido por meio do mundo virtual. Desde a sala de aula invertida, ao laboratório rotacional, a divisão por estações, ou até mesmo a rotação individual.

Portanto, explorar a imaginação e capacidade de improvisação é um importante aprendizado obtido com as mudanças da educação em 2020, que deve ser perpetuado para 2021. Ao acrescentar e utilizar mais recursos, a experiência do aluno junto ao educador será ainda melhor aproveitada.

 2. Cuidado nunca é demais

Álcool em gel e máscara tornaram-se itens essenciais a qualquer saída de casa, independentemente do objetivo. Logo, as escolas que puderam retomar ou planejam atividades presenciais, precisam seguir protocolos sanitários ainda mais rígidos.

E as principais orientações já foram listadas pelo MEC (Ministério da Educação) no Protocolo de Biossegurança para o retorno das aulas, lançado em julho. No documento, estão todos os cuidados que as instituições devem adotar em suas atividades presenciais na educação em 2021.

De acordo com o documento, cabe às escolas realizar a aferição da temperatura dos colaboradores e estudantes na entrada do estabelecimento e nas salas. Ainda é necessária a disponibilização de álcool 70% e álcool em gel 70% nos ambientes.

A limpeza deve ser realizada com mais frequência em locais com maior fluxo de pessoas, bem como em banheiros e salas. Além disso, nos bebedouros, deve ser evitado o contato direto com a superfície do aparelho, e fornecido recursos que possibilitem sua higienização, ou então este deve ser interditado.

Veja outras recomendações das autoridades para o retorno das atividades presenciais da educação em 2021:

  • Todos devem utilizar máscaras;
  • A equipe deve garantir o distanciamento social, respeitando o espaço mínimo de 1,5m entre as pessoas;
  • Os ambientes devem ter boa ventilação, por meio de janelas e portas abertas;
  • A limpeza de móveis, superfícies e utensílios deve ser priorizada;
  • O acesso de estudantes ao refeitório e praças de alimentação deve ser escalonado.
  • Caso alguém apresente sintomas, deve comunicar imediatamente.

Portanto, o que levamos de 2020 para 2021 é o aprendizado de que o cuidado com a higiene e práticas sanitárias deve ser prioridade, e cada vez mais intenso e constante. Pois os bons hábitos contribuem para que esta nova cultura se estabeleça.

3. A saúde mental deve ser priorizada

A discussão sobre saúde mental marcou presença nas pautas de 2020. E este assunto deve estar em pauta na educação em 2021. Isso porque ele influencia diretamente a relação entre alunos e professores.

Muitos estudos deste ano mostraram que os diagnósticos de doenças mentais aumentaram durante o ano. A ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), por exemplo, compartilhou que 89,2% dos psiquiatras entrevistados em levantamento relataram o agravamento de quadros psiquiátricos devido à pandemia. As informações foram divulgadas pela Agência Brasil.

Estresse, ansiedade, depressão e outros fatores afetam diretamente a efetividade das aulas. Portanto, um importante aprendizado da educação 2020 para 2021 é incluir a atenção com a saúde mental no planejamento. Para tanto, é imprescindível que hajam discussões sobre como lidar com os aspectos emocionais entre os profissionais da rede de ensino. Este preparo pode trazer resultados significativos ao futuro da educação.

Em publicação da Revista Educação, é observado que haverão novas demandas de reinvenção das estratégias relacionadas às relações afetivas entre todos, como também do trabalho pedagógico. O conteúdo destaca que o educador é visto como um “porto seguro” de estudantes, famílias e gestores. Logo, para que esta responsabilidade não seja um peso entre as atribuições, é necessário um maior acolhimento dos profissionais.

“A situação vivida ainda é delicada sob muitos aspectos e, sobretudo, o aspecto emocional. Muitas e diversas foram as perdas, não podemos fechar os olhos para isso, não será possível continuar de onde havíamos parado, como se tudo tivesse sido um feriado prolongado. É preciso reconhecer a nossa vulnerabilidade para podermos entendê-la como potência, no sentido de que esse exercício de autoconhecimento pode nos direcionar para a busca de estratégias mais efetivas para lidar com as questões que forem se apresentando”, completa a psicóloga Carla Eliane Szajdenfisz Jarlicht em entrevista ao veículo.

4. Gerenciamento de crise administrativa e financeira

Falamos muito sobre os educadores e estudantes, mas não podemos nos esquecer dos gestores da educação. Foram muitos os desafios impostos à administração e coordenação das redes de ensino em 2020. Agora, é importante desenvolver ações rumo à superação de perdas, para que a crise não afete o bom andamento das atividades, assim como as finanças.

Na cartilha “Enfrentamento da Covid-19 pela Gestão Escolar”, o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) listou importantes ensinamentos sobre o que fazer neste gerenciamento.

Para começar, recomenda-se a criação de mais canais de comunicação – incluindo as redes sociais. Os gestores precisam manter todos atualizados sobre as realizações e os próximos passos. Isso evita riscos de boatos e informações falsas que podem comprometer os andamentos do planejamento.

Também é importante criar estratégias que fortaleçam a resiliência da comunidade escolar e, ainda, contribuam para a redução dos riscos de evasão. Além disso, o gestor precisa garantir os investimentos. Para isso, é importante avaliar cuidadosamente a previsão orçamentária para a educação em 2021.

 5. As ferramentas digitais: elas chegaram para ficar!

Se antes de 2020 as ferramentas digitais já nos ensinavam a trazer mais agilidade e praticidade ao ensino, no decorrer do ano isso só ficou ainda mais claro. E o uso da tecnologia na educação deve ser ainda mais intenso em 2021.

Lembra da matéria do Jornal da Globo que destacou o IsCool App? Nela, foi possível visualizar como as ferramentas digitais tornaram-se essenciais para manter o andamento e comunicação das atividades remotas da educação.

Isso porque os recursos tecnológicos permitem uma melhor comunicação entre escolas, estudantes e as famílias. O IsCool App, por exemplo, possibilita a publicação de comunicados, envio de arquivos, pesquisas, atendimentos, entre outras atividades essenciais para suporte às aulas remotas.

Assim, o aprendizado que fica é que não importa a distância física, a inovação supera fronteiras e é a aliada que chegou para facilitar o acesso ao conhecimento.

FONTES:

Guia do Estudante – https://guiadoestudante.abril.com.br/atualidades/coronavirus-no-brasil-como-a-pandemia-prejudica-a-educacao/

G1 – https://g1.globo.com/educacao/noticia/2020/12/10/mec-autoriza-aulas-remotas-enquanto-durar-a-pandemia.ghtml e https://g1.globo.com/educacao/noticia/2020/12/08/mec-muda-previsao-e-preve-volta-as-aulas-presenciais-em-universidades-em-1o-de-marco.ghtml

Blog IsCool App – https://iscoolapp.blog/category/blog/ e https://iscoolapp.blog/category/imprensa/

MEC – https://www.gov.br/mec/pt-br/centrais-de-conteudo/campanhas-1/coronavirus/CARTILHAPROTOCOLODEBIOSSEGURANAR101.pdf/view

Agência Brasil – https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2020-05/psiquiatras-veem-agravamento-de-doencas-mentais-durante-pandemia

Revista Educação – https://revistaeducacao.com.br/2020/07/09/aulas-emocional-de-alunos/

Sebrae – https://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/cartilha_-_enfrentamento_da_covid-19_pela_gesta_o_escolar_1_1_.pdf

Deixe uma resposta