10 dicas de como manter os alunos protegidos do Coronavírus

Além de informar sobre o novo vírus, saiba como manter os alunos protegidos na permanência do ambiente escolar

O mundo está preocupado com a nova geração do Coronavírus, que pode provocar pneumonia e levar à morte. As informações veiculadas pela mídia são, em sua maioria, assustadoras. A boa notícia é que 80% dos casos diagnosticados são leves e os sintomas são similares aos de uma gripe comum, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Mesmo assim, crianças e adolescentes são impactados por essas notícias de alguma forma, fazendo com que as dúvidas e medos naturalmente apareçam. Por isso, as escolas têm o dever de informar os alunos sobre o Coronavírus e mantê-los protegidos da doença. Mas, como fazer isso da melhor maneira possível, sem causar mais pânico entre os estudantes e as famílias?

O colégio Objetivo de Nova Odessa (SP), por exemplo, decidiu organizar uma palestra com um profissional da saúde sobre o tema. A palestra, chamada “Orientações e Prevenção sobre o Coronavírus e outros Vírus Respiratórios”, foi ministrada para alunos do 5º ano do Ensino Fundamental II ao Ensino Médio, pela Coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Nova Odessa, Paula Mestriner.

Segundo a Orientadora Educacional e Fonoaudióloga do colégio, Andreza Della Gracia, a informação é a maior aliada nesses casos.

“A palestra foi muito importante para a desmistificação sobre os casos de Coronavírus: sua propagação, início, mutação de vírus e etc., assim como para a orientação de cuidados básicos de saúde que todos devem adotar, independente de surtos de doenças ou não”.

O colégio, que utiliza o IsCool App, compartilhou matéria sobre a palestra através do aplicativo, estendendo assim a informação também para as famílias. Além disso, a escola aumentou os pontos com álcool gel 70% para que os alunos possam higienizar as mãos com maior frequência.

A exemplo do Objetivo de Nova Odessa, realizar uma palestra com profissional de saúde pode ser interessante para manter os alunos e o próprio corpo docente informados sobre o assunto.

10 dicas de como manter os alunos protegidos

Além da informação, promover hábitos de prevenção da doença entre os estudantes é importante, tanto os de responsabilidade individual, quanto os de responsabilidade coletiva.

A Sphere International School, franquia de escolas internacionais, disponibilizou uma apresentação digital sobre o Coronavírus, chamado “Sphere Alerta!”. O material educativo foi preparado em português e inglês e apresenta, entre outras informações, 10 maneiras de como manter os alunos protegidos. Saiba, a seguir, quais são elas:

  1. Manter as salas arejadas, com ventilação natural;
  2. Evitar o contato próximo entre crianças;
  3. Realizar ações educativas com relação ao modo de lavar as mãos adequadamente;
  4. Evitar o compartilhamento de materiais escolares, brinquedos, utensílios na hora do lanche e/ou almoço;
  5. Orientar alunos a lavarem as mãos com maior frequência e, principalmente, antes e depois das refeições;
  6. Disponibilizar álcool gel 70% para uso de alunos e colaboradores;
  7. Evitar tocar a boca ou esfregar os olhos com as mãos, sem necessidade;
  8. Cobrir o nariz e a boca com a parte interna do braço dobrado ao tossir e/ou espirrar;
  9. Manter álcool gel 70% nas salas para uso frequente, especialmente após a criança tossir ou espirrar;
  10. Praticar mais atividades ao ar livre.

Vale lembrar que o aluno com febre não deve ir à escola e é de responsabilidade dos pais comunicar a instituição caso alguém da família tenha viajado para os países de risco até o momento. São eles: China, Alemanha, Austrália, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Camboja, Emirados Árabes, Filipinas, França, Irã, Itália, Japão, Tailândia, Vietnã e Singapura.

Sobre o Coronavírus

O vírus surgiu na China, na virada do ano, causou mortes e em poucos dias chegou ao Ocidente. Autoridades de saúde de todos os continentes tentam evitar uma epidemia global. Aeroportos monitoram sinais da doença nos viajantes e 35 milhões de chineses estão em quarentena na região de Wuhan, onde tudo começou.

Os primeiros casos da doença respiratória surgiram em dezembro do ano passado. Todos os doentes frequentavam o mercado de animais vivos em Wuhan. O mercado foi fechado, mas o número de casos continuou a crescer. Agora, se sabe que o contágio está se fazendo de humano para humano.

O Coronavírus tem esse nome porque é uma esfera com pontas, que lembra uma coroa. Os vírus conseguem durar até 24 horas nos objetos e a única maneira eficiente de eliminá-los é lavá-los bem com água e sabão.

Os principais sintomas são: febre, cansaço, tosse seca, dores pelo corpo, diarréia, congestão e corrimento nasal e dor de garganta. Os sintomas mais graves são falta de ar e pneumonia.

Através desse site, é possível visualizar o avanço da doença pelo mundo em tempo real.

O Ministério da Saúde do Brasil também elaborou um site para sanar as principais dúvidas dos internautas em relação ao novo vírus, inclusive elucidando as chamadas “fake news” que costumam se propagar pelas redes sociais.

E o seu colégio, já realizou alguma ação sobre o Coronavírus? Deixe nos comentários! 

Deixe uma resposta