10 maneiras de prevenir e combater o bullying nas escolas

Promover a cultura da paz é essencial para que as escolas enfrentem os problemas de intimidação e violência

Todo mundo sabe que o bullying nas escolas é um grande problema. Afinal, as escolas são o principal local onde isso pode acontecer. Ajudar a estabelecer um clima escolar favorável e seguro, onde todos os alunos são aceitos e saber como responder quando o bullying acontece são essenciais para promover um ambiente escolar saudável.

Segundo pesquisa mundial da Talis (Teaching and Learning International Survey) de 2019, 3% das escolas enfrentam problemas de intimidação ou ofensa verbal a professores ou funcionários ao menos uma vez por semana. No Brasil, o problema ocorre semanalmente em mais de 10% de escolas.

Cerca de 28% dos diretores das escolas brasileiras dos anos finais do ensino fundamental apontaram a intimidação ou o bullying entre os alunos como uma situação que ocorre semanal ou diariamente. Um percentual alto se comparado com a média da América Latina e com a médiaTalis 2018, de 13%.

Para 18% dos diretores de escolas do ensino médio esse fenômeno também se destaca por ocorrer semanal ou diariamente, situação ainda mais presente nas escolas públicas brasileiras (23%) do que nas privadas (7%). Esse quadro coloca o Brasil bem à frente de países como Emirados Árabes (6%), Eslovênia (5%) e Turquia (5%), participantes da pesquisa nessa etapa de ensino que apresentaram os maiores percentuais.

A partir dos dados, percebe-se a importância das instituições saberem como enfrentar o bullying e a violência nas escolas. Mas como?

De acordo com Feizi Milani, autor do livro “Tá combinado! Construindo um pacto de convivência na escola”, é preciso antes de tudo adotar a estratégia de desenvolver, em parceria com os estudantes, um acordo, no qual as normas de convívio, assim como os seus direitos e deveres, são discutidas e aprovadas coletivamente.

“O Pacto de Convivência se constitui num instrumento privilegiado para lidar com questões que atualmente desafiam as escolas e a sociedade em geral: a discriminação étnico-racial, a discriminação sexual e de gênero, a intolerância religiosa, a exclusão, os preconceitos, os assédios, as humilhações morais, o bullying e outras formas de violência”, diz ele.

Baixe gratuitamente a 3ª. Edição do livro, revisada e atualizada.

Ferramentas para ajudar na prevenção e combate ao bullying

Especialistas concordam que certas atitudes tornam as ações anti-bullying mais bem-sucedidas. Além de promover a cultura da paz através de um combinado coletivo, como mencionado acima, outra chave para o sucesso é estabelecer metas que sejam adequadamente comunicadas à equipe, alunos, pais e comunidade.

Nesse sentido, a comunicação com os pais via aplicativo como o IsCoolApp pode ser de grande utilidade, conectando as famílias à escola no combate ao bullying. O IsCoolApp apresenta um menu completo de recursos que permitem que os pais acompanhem toda a rotina escolar dos filhos da palma da mão, via celular. Dessa forma, as famílias se tornam mais participativas das questões escolares.

A prevenção ao bullying integrada ao currículo também faz a diferença. Por exemplo:o professor pode utilizar livros de ficção para explorar conceitos de aprendizado social e emocional sobre o assunto. Ao estudar o comportamento dos personagens de determinado livro, os alunos terão a percepção de atitudes como intimidação, opressão e assim por diante.

Outra maneira é incorporar ao currículo aulas sobre questões socioemocionais, sendo inclusive uma das diretrizes da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Um desses programas chama-se Escola da Inteligência, criado pelo psiquiatra e escritor Augusto Cury, que implementa nas instituições de ensino uma cultura para o desenvolvimento de relações saudáveis a partir da aplicação de 1 hora/aula por semana na grade curricular.

O programa tem sua metodologia fundamentada na Teoria da Inteligência Multifocal que oferece, entre suas principais vantagens, o combate e prevenção ao bullying.

“Os alunos que se beneficiam do programa de gestão emocional podem ter autonomia, ser autores da sua própria história, trabalhar as intempéries da vida e desenvolver empreendedorismo, proatividade, raciocínio lógico-matemático e socioemocional”, explica Augusto Cury.

Confira abaixo 10 maneiras de se combater o bullying

1. Aprenda o que é bullying e o que não é

Bullying é uma situação que se caracteriza por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas.O termo bullying tem origem na palavra inglesa bully, que significa “valentão”.

Mesmo sem uma denominação em português, é entendido como ameaça, tirania, opressão, intimidação, humilhação e maltrato.

Muitos comportamentos que parecem assédio moral podem ser igualmente graves, mas podem exigir estratégias de resposta diferentes.

2. Estabeleça um ambiente escolar seguro

Muitas vezes, o primeiro passo para prevenir o bullying é garantir que os alunos, professores e funcionários sejam educados sobre o bullying. Treinamento de professores em sala de aula pode ajudar. Para crianças, livros e internet podem ajudá-los a aprender sobre o bullying.

3. Aprenda a envolver pais e jovens na construção de um clima escolar positivo

Você também pode aprender sobre o que procurar como sinais de alerta de que alguns de seus alunos podem estar envolvidos em bullying e quem pode estar em maior risco de estar envolvido. Conheça considerações especiais para grupos específicos.

4. Conheça suas obrigações legais sobre o bullying

Aprenda também sobre leis federais que exigem que as escolas lidem com assédio com base em raça, cor, origem, sexo e deficiência. Trabalhe para estabelecer regras e políticas que ajudem a deixar toda a comunidade escolar ciente em relação ao bullying e procedimentos para relatar e investigar quando algo acontecer.

5. Avalie o bullying na sua escola e entenda como se compara às taxas nacionais

6. Responda quando o bullying acontece.

Aprenda a detê-lo no local, descubra o que aconteceu e apoie todos os alunos envolvidos.

7. Evite desvios nas estratégias de prevenção e resposta ao bullying

8. Utilize os diversos recursos gratuitos sobre bullying encontrados na internet ou através de meios impressos

9. Incentive a solidariedade, a generosidade e o respeito às diferenças

Por meio de conversas, campanhas de incentivo à paz e à tolerância, trabalhos didáticos, como atividades de cooperação e interpretação de diferentes papéis em um conflito.

10. Desenvolva em sala de aula um ambiente favorável à comunicação entre alunos

Quando um estudante reclamar de algo ou denunciar o bullying, procure imediatamente a direção da escola.

Deixe uma resposta