Guia de boas práticas do app escolar: como dominar a ferramenta e conquistar o engajamento do público

Explorar mais de cada funcionalidade e personalizar o conteúdo são alguns dos pontos-chave para potencializar ao máximo o meio de comunicação mais eficaz do colégio

Boas Praticas_app escolar_IsCool App

Imagine que você é um pintor e está diante de uma tela em branco na qual deve criar a melhor propaganda de você mesmo. Mais: essa tela deve se tornar cobiçada e bastante valiosa, sendo objeto de grande admiração por parte do público.

Assim, como a tela em branco, é o aplicativo de comunicação do seu colégio. O que você vai pintar diariamente sobre a sua escola? Quais as cores que irão chamar a atenção do público? Que tipo de linguagem vai trazer mais identificação por parte das pessoas e quantos cenários diferentes poderão ser retratados?

Não, não é difícil, caso esteja pensando. Com o aplicativo de comunicação, escolas têm reforçado sua marca e criado uma nova (e simples) maneira de engajar as famílias. Afinal, você tem uma ferramenta pronta para trabalhar em prol da missão da instituição, basta alimentá-la.

Pensando nisso, e tendo como base alguns exemplos dos colégios que melhor têm se engajado utilizando o IsCool App, preparamos um guia com dicas simples para gestores escolares e administradores da ferramenta. Você vai conquistar de vez a atenção dos pais e fazer com que eles não resistam em conferir e interagir com seu conteúdo diariamente. Confira:

 

Frequência das postagens

O feed de notícias é uma espécie de mural da escola e funciona como uma timeline de outras mídias sociais. Aliás, ele é a primeira tela que o pai vê quando abre o IsCool App. Aqui, cada escola define a frequência das postagens, mediante a importância do conteúdo, mas o ideal é que se faça pelo menos entre duas a cinco postagens por semana com assuntos gerais, de interesse de todo o público escolar.

Já quando o assunto é o comunicado, a freqüência varia de acordo com as etapas e a mecânica do uso do app na escola. Por exemplo, há colégios que optam por deixar que o professor atualize os comunicados, enviando fotos dos filhos nas atividades do dia a dia. De qualquer forma, este é o meio para comunicar assuntos mais específicos e segmentados, como por exemplo, enviar boletim somente para responsável pedagógico ou boleto bancário somente para o responsável financeiro.

A regra é, em qualquer das situações, pelo feed ou via comunicado direto, a frequência deve manter uma constância, mas sem exageros. O usuário tende a perder o interesse quando é bombardeado de informações que não dizem respeito ao seu filho ou que não tenham o objetivo claro de informar.

 

Publicação de fotos

Já falamos nesta matéria sobre questões jurídicas que envolvem o uso de imagens dos alunos em publicações da escola e sabemos que ela deve ser autorizada de maneira consciente no contrato de matrícula.

De qualquer forma, as fotos compõem um conteúdo de qualidade e que chama a atenção. Vale, é claro, o bom senso na exposição das crianças e na escolha do material divulgado. O colégio deve padronizar o tipo, qualidade e tamanho das imagens, evitando a poluição visual e gerando empatia.

 

Conteúdo engajador

Além do uso das fotos, imagens e vídeos, é preciso evitar textos muito densos, tanto no feed de notícias, quanto em comunicados. A dica é criar conteúdos que despertem a curiosidade e o interesse do pai da maneira mais personalizada possível.

Avisos gerais, campanhas, registro de atividades importantes desenvolvidas por alguma turma, matérias sobre a escola no jornal da cidade são assuntos para o feed de notícias, que reforça a marca junto à comunidade escolar. Assuntos específicos sobre comportamento do aluno, por exemplo, e atividades desenvolvidas em sala, podem ser enviadas pelos comunicados.

Sai na frente a equipe que administra o aplicativo com base em um cronograma de ações e um planejamento de conteúdo pré-estabelecido. Mais dicas para criar um conteúdo engajador, você acompanha nesta matéria.

 

Dados atualizados

O sucesso do app se inicia com o uso de banco de dados atualizado. Vale insistir, por exemplo, que os cadastros dos alunos e as informações dos pais estejam sempre atualizados na secretaria do colégio. Tanto e-mail quanto telefone dos pais devem ser de uso pessoal e não profissional, para que não se corra o risco de mudanças nos dados no meio do caminho.

 

Habilitar a interação do usuário

Os colégios que permitem que os pais respondam aos comunicados e disponibilizam canais de comunicação diretos têm obtido melhor resultado em engajamento. O pai se sente ainda mais parte da educação dos filhos e fica aliviado de saber que o colégio dá atenção para suas solicitações.

E se o aplicativo puder ser utilizado pelo aluno do Ensino Médio, há ainda mais chances de conquistar a atenção. Há casos de colégios que criam grupos de alunos para a troca de dicas e materiais de estudo diretamente com professores e que têm alta aprovação do público.

 

Personalizar o aplicativo

Além de inserir o logo no ícone do aplicativo, é importante reforçar a identidade da marca nas cores e na aparência da ferramenta. É interessante, também, brincar com cores e temas variados e mostrar que o app está em constante atualização. Por exemplo, você pode deixar o logo e o perfil rosa no mês de conscientização contra o câncer de mama, ou brincar com as cores de Natal no mês de dezembro.

Outra maneira de personalizar o aplicativo de comunicação é estabelecer padrões de linguagem, como já falamos nesta matéria com 4 dicas para construir um melhor diálogo via app escolar.

 

Conheça melhor o seu público com análises do próprio aplicativo

O dashboard é uma excelente ferramenta para conhecer mais sobre os hábitos do seu público e identificar, por exemplo, os melhores horários para postagens ou o tipo de conteúdo que mais lhes agrada. Outra importante funcionalidade que auxilia nessa análise de público são as enquetes, nem sempre exploradas pelos colégios.

 

Explore calendário e outras ferramentas

Interagir com o calendário, inserindo atividades e datas importantes do ano escolar é essencial para trazer as famílias para perto e mostrar que o app é mais do que recados. Até porque, com o calendário integrado, o conteúdo pode ser compartilhado com o calendário pessoal no celular do pai.

Além do calendário, outras ferramentas estão disponíveis para o colégio e podem auxiliar no engajamento dos pais, como os serviços úteis (que disponibiliza links de sites com conteúdo, produtos e serviços), as autorizações e a própria agenda, que pode ser configurada como diário de classe em qualquer etapa.

 

Implantando a cultura do aplicativo escolar

Por último, deixamos o item mais importante: a campanha de divulgação do app antes da implantação e a abolição da agenda física. O usuário precisa ser avisado sobre a novidade e preparado para a mudança na cultura que o colégio está propondo.

Centralizar a comunicação no aplicativo, excluindo a agenda física, foi uma ação fundamental para os colégios que hoje têm adesão e engajamento total dos pais. Bem como campanhas de lançamento do app e reforço da importância da ferramenta durante as reuniões de pais.

Um comentário sobre “Guia de boas práticas do app escolar: como dominar a ferramenta e conquistar o engajamento do público

Deixe uma resposta