Mediação escolar: tire suas dúvidas e saiba como aplicá-la em seu colégio

Relativamente nova no âmbito escolar, a mediação traz autonomia na resolução de conflitos, tornando o processo mais rápido e eficaz; falha na comunicação escolar ainda é um dos temas que mais gera conflitos

Mediação - escolar - IsCool App

Diz-que-diz, desentendimento, desgaste envolvendo as relações entre alunos, famílias e colaboradores… O ambiente escolar não está livre de conflitos, ao contrário, é crescente e impressionante o número de ocorrências derivadas de bullying, ciberbullying e até violência física. Em algum momento de sua gestão, o mantenedor ou diretor estará frente a problemas como esse. A boa notícia é que a sociedade conta com novas ferramentas que não somente solucionam as desavenças, como também colaboram para que elas sejam evitadas.

É o caso da mediação, uma prática simples e informal de resolução de conflito, que está sendo adotada por escolas de todo o Brasil. Nela, o próprio aluno é capacitado para arbitrar e resolver, de forma amigável, situações do dia a dia. “A proposta da mediação no contexto escolar é disseminar a cultura de pacificação e, aos poucos, remover a ideia que temos de terceirizar a solução de nossos conflitos”, afirma a advogada, professora e mediadora, Débora Dittrich, da Dittrich Solutions.

Na mediação, basta que um terceiro ou grupo terceiro imparcial, escolhido em comum acordo pelas duas partes conflitantes, ajude a atingir um consenso, em que não há ganhador ou perdedor. Com a criação de núcleos mediadores dentro da escola e com o trabalho educativo sobre mediação na grade curricular, desde cedo, os alunos são conscientizados para tomar decisões de forma madura, levando o conceito para os colegas de classe, os pais e toda a sociedade ao redor.

“É diferente de uma decisão judicial que é imposta e não vai atender amplamente aos interesses das pessoas envolvidas, que vão continuar infelizes e, muitas vezes, com sérios problemas de comunicação e de relacionamentos”, explica Débora, que assessora escolas na implantação de núcleos mediadores, na criação de conteúdo para aprendizado em sala de aula e, também, na própria resolução de conflitos.

 

Comunicação inadequada é um dos principais causadores de conflitos

Uma mãe vai buscar o filho, mas chega mais cedo e ouve a professora ser ríspida com um dos alunos. Rapidamente saca o celular e envia uma mensagem contando o fato para a mãe da criança. As duas fazem parte de um grupo de mães que se comunica pelo celular sobre noticias e acontecimentos da escola e, claro, o fato se espalha de maneira on-line e em tempo real. A mãe do aluno que teria sofrido o suposto assédio verbal vai pedir satisfação para a diretora, pede medidas disciplinares e ameaça levar a ocorrência para a mídia. Está armado o conflito.

Não é à toa que o “diz-que-diz” é o primeiro exemplo apontado no início dessa matéria. A comunicação com interferências, como no caso real citado acima, é uma das principais causas dos conflitos e grande parte desses casos envolve o uso indiscriminado de aplicativos de comunicação não oficiais. Com a mediação de um terceiro, o fato real narrado anteriormente foi resolvido de maneira pacífica e amigável, mas, com uma comunicação oficial em um aplicativo próprio, a escola poderia ter evitado o problema.

“O ideal é que a instituição escolar pudesse divulgar as notícias, eventos e outras informações em um aplicativo direcionado a cada turma ou grupo de pais, com um caráter mais oficial, pois certamente evitaria essas ‘noticias’ que acabaram gerando conflitos desnecessários por absoluta falha de comunicação. (Em um aplicativo de comunicação oficial) Alguém da própria instituição estaria fazendo parte desse grupo e já poderia esclarecer fatos ocorridos, evitando tamanhos desdobramentos”, complementa Débora.

Com diversas ferramentas de controle e segurança da informação, como revisão de comunicados, auditoria de conteúdo e habilitação ou não de respostas, o IsCool App é um exemplo de comunicador oficial da própria escola que tem contribuído para as instituições preocupadas em evitar conflitos, inclusive os internos. Por meio dele, as informações se tornam mais diretas, não se perdem ou se abrem para interpretações.

 

Tire suas dúvidas:

– Afinal, o que é mediação?

Mediação é uma modalidade de Resolução Apropriada de Disputas (assim como a conciliação e a negociação, por exemplo) no qual um terceiro, totalmente imparcial, facilita a negociação entre as pessoas em conflito. A mediação pode ocorrer em qualquer tipo de disputa, como em âmbito escolar, familiar, empresarial ou condominial.

 

– Qual o papel da mediação na sociedade?

A mediação tem papel importante por ser uma solução simples e informal contra a lentidão no sistema judiciário brasileiro, que a cada dia acumula novos processos. Segundo dados oficiais, a cada ano, para cada dez novas demandas propostas, apenas três demandas antigas são resolvidas. Assim, somam-se a esses números, cerca de 93 milhões de processos pendentes. A lei 13.140, de 26 de junho de 2015, vem justamente para ajudar a mudar esse cenário e auxiliar na implantação de uma cultura de paz.

 

– Como funciona a mediação escolar?

Em âmbito escolar, a mediação possibilita que os próprios alunos, professores e demais colaboradores possam atuar como mediadores em conflitos que envolvam, por exemplo, o bullying, cyberbullying e casos de violência física ou verbal.

 

– Como levar a mediação para minha escola?

Todo colégio deve contar com uma assessoria em mediação escolar para atender necessidades pontuais, porém, é importante que a instituição crie um núcleo de mediação escolar e cuide para a formação de mediadores. Para isso, a escola deve implementar a disciplina da mediação e suas práticas na própria grade curricular, trabalhando uma cultura de paz e resolução de conflitos dentro do seu ambiente.

 

Sobre a Dittrich

Criada em 2013 por profissionais das áreas de direito e pedagogia, a Dittrich Solutions oferece cursos, workshops, palestras, treinamentos, capacitação e formação de mediadores judiciais e privados. É pioneira na implementação de mediação escolar no país, com consultoria e formação de mediadores.

Deixe uma resposta