Saúde nas escolas: o que fazer para prevenir doenças e acidentes

Estima-se que 90% dos acidentes com crianças são evitáveis e 20% ocorrem durante o período que passam na escola

Desenvolver uma cultura de prevenção de doenças e acidentes no ambiente escolar é fundamental para manter a tranquilidade de pais e alunos. Afinal de contas, é na escola que a maioria das crianças e adolescentes passa a maior parte do dia. É o local também onde se alimentam, brincam e interagem com outras pessoas.

Os acidentes mais comuns no ambiente escolar são:

  • Traumas: escoriações, ferimentos, fraturas, traumas dentários, oculares;
  • Engasgos, obstruções por corpos estranhos no nariz, ouvidos;
  • Queimaduras;
  • Ocorrências relacionadas a circunstâncias clínicas, como desmaios, crises convulsivas, febre, doenças infecto-contagiosas de fácil propagação em ambientes com diversas pessoas.

De acordo com Cláudia Cavalcanti de Araújo, médica, empresária e diretora executiva do Grupo Crescer Saúde, as doenças infecciosas, respiratórias e câncer, juntas, matam menos crianças de 1 a 14 anos do que acidentes. “O papel da escola transcende a promoção de um ambiente seguro”, diz ela.

Para a médica, “deve ser um local privilegiado para promover, manter e educar sua comunidade sobre saúde física, emocional e segurança, proporcionando responsabilidade e cidadania”, completa. 

Lei Lucas

Em setembro de 2017, Lucas Begalli Zamora, de 10 anos, morreu ao se engasgar com um lanche durante um passeio escolar. O caso aconteceu em Campinas (SP). Para enfrentar o perigo iminente para crianças em situações como essa, foi sancionada a Lei Lucas (13.722/18).

Desde então, as escola públicas e privadas, de educação infantil e básica, são obrigadas a fazerem curso de capacitação de professores e funcionários em noções básicas de primeiros socorros. Essa obrigação vale também para estabelecimentos de recreação infantil.

O objetivo do treinamento é possibilitar que os professores consigam agir em situações emergenciais enquanto a assistência médica especializada não for proporcionada. Quem não cumprir a lei, será notificado pelo descumprimento, receberá multa e até mesmo cassação do alvará ou responsabilização patrimonial.

“A Lei Lucas foi um grande passo na mudança do cenário no Brasil, entretanto muito há a fazer. Muitas escolas se mobilizaram para prestar treinamento em Primeiros Socorros. Isso é ótimo! Entretanto, é fundamental ações mais incisivas na direção da cultura de segurança”, comenta Cláudia.

Cláudia Cavalcanti de Araújo, médica, empresária e diretora executiva do Grupo Crescer Saúde

Diretrizes do Ministério da Saúde

Além do cumprimento da Lei Lucas, é muito importante que as escolas se equipem com itens de segurança, como um desfibrilador que, em muitos casos, são essenciais para salvar vidas. Outra medida é contratar seguro para os casos de acidentes. “Apenas 3% das escolas brasileiras contam com seguro de acidente escolar”, relata a médica.

O ideal é que a escola possa implementar um programa de saúde integral, por conta própria ou contratando um serviço especializado, que esteja alinhado com as diretrizes do Ministério da Saúde.

São elas:

  • 1-Ações de combate ao mosquito Aedes aegypti;
  • 2- Promoção da segurança alimentar e nutricional e da alimentação saudável e combate à obesidade infantil;
  • 3- Direito sexual e reprodutivo e prevenção de DST/AIDS;
  • 4- Prevenção ao uso de álcool, tabaco, crack e outras drogas;
  • 5- Promoção da Cultura de Paz, Cidadania e Direitos Humanos;
  • 6- Promoção das práticas Corporais, da Atividade Física e do lazer nas escolas;
  • 7- Prevenção das violências e dos acidentes;
  • 8- Identificação de estudantes com possíveis sinais de agravos de doenças em eliminação;
  • 9- Promoção e Avaliação de Saúde bucal e aplicação tópica de flúor;
  • 10- Verificação da situação vacinal;
  • 11- Promoção da saúde auditiva e identificação de estudantes com possíveis sinais de alteração;
  • 12- Promoção da saúde ocular e identificação de possíveis sinais de alteração.

“O Programa de saúde integral é desenvolvido para a equipe, alunos e famílias, abrangendo os aspectos da saúde que impactam no aprendizado, como saúde ocular, saúde bucal, prevenção de doenças e acidentes, desenvolvimento físico e sócio-emocional focado para a inclusão, entre outros”, explica Cláudia.

Desde 2012, o dia 10 de outubro foi instituído pelo Governo Federal como o Dia Nacional de Segurança e Saúde nas escolas, referente aos trabalhadores escolares. Nesse dia, as escolas podem e devem fazer uma série de atividades voltadas para essa questão, tanto em relação à segurança e saúde dos alunos, como dos funcionários da escola também.

De acordo com a cartilha do Fundacentro, instituição governamental de pesquisa e estudos atinentes à segurança, higiene e medicina do trabalho, vinculada ao Ministério do Trabalho, existem algumas medidas que devem ser tomadas pelos alunos como procedimentos para a saúde e a segurança:

  • Em sala de aula, ao permanecerem sentados numa posição incorreta na cadeira, poderão ter dores no corpo posteriormente;
  • Se a sala não estiver com iluminação adequada, os alunos devem relatar ao professor;
  • Ao entrar e sair da sala, evitar tumulto e correria;
  • No pátio e nos corredores, também devem ter cuidado com atividades arriscadas e que podem ferir os colegas ou outras pessoas, como correr e pular;
  • Nos lanches, os alunos devem alimentar-se de forma saudável e sempre jogando embalagens e restos na lixeira, de forma seletiva quando disponível;
  • Ao praticar esportes e outras atividades físicas, devem-se utilizar equipamentos de proteção, se exigidos.

Canal de atendimento IsCool App

O aplicativo IsCool App disponibiliza diversas funcionalidades que visam promover uma comunicação rápida e eficaz entre pais e escola. No sentido de garantir a segurança e saúde dos alunos, a escola pode oferecer o contato direto com nutricionista responsável pela alimentação do colégio e/ou responsável pela cantina, através do canal de atendimento do aplicativo de comunicação, por exemplo.

O canal de atendimento pode ser aberto pela escola aos pais que tiverem interesse em se comunicar com os profissionais envolvidos diretamente nas questões de saúde, como os de psicologia e fonoaudiologia. Assim, fica mais fácil para as famílias solucionarem questões de saúde dos seus filhos através do celular, na palma da mão.

O IsCool App também oferece a possibilidade da escola publicar o cardápio da semana ou do mês. Inclusive, já fizemos uma postagem sobre essa funcionalidade e sobre a alimentação saudável nas escolas. Leia ou releia: Alimentação saudável nas escolas: uma matéria importante.

Equipe do IsCool App participa do Sphere International Seminar

Sara Vogel, palestrante do Sphere International Seminar

Evento reuniu cerca de 350 pessoas e trouxe palestrantes do Brasil e do exterior para discutir sobre a educação bilíngue

Que a educação bilíngue é uma tendência que veio para ficar, todo mundo já sabe. Por isso, cada vez mais os profissionais da área de educação precisam se atualizar sobre as novidades acerca do tema. Nada melhor que trocar experiências e informações durante evento dedicado a discutir o bilinguismo no Brasil.

Trata-se do Sphere International Seminar, evento realizado nos dias 7 e 8 de setembro, na capital paulista. A Equipe do IsCoolApp/School Picture participou como expositora e patrocinadora do seminário que foi idealizado para a reflexão do ensino de uma segunda língua.

Em pleno feriado nacional, gestores e professores trocaram as rodovias engarrafadas em direção ao litoral pelo conhecimento. O Sphere International Seminar reuniu cerca de 350 pessoas e apresentou palestrantes renomados, tanto do cenário nacional, como internacional.  

O evento voltado para a educação bilíngue acontece a cada dois anos. O seminário, que já está em sua sétima edição, é de iniciativa da Sphere International School, franquia de escolas internacionais pertencente ao Grupo SEB.

No estande do IsCool App e School Picture, os visitantes puderam conhecer diversas soluções escolares em comunicação escolar (no caso do aplicativo); fotografias e livros personalizados como recordação escolar (School Picture), além da oportunidade de levar uma foto-lembrança para casa, realizada por fotógrafo profissional da nossa equipe.

Segundo a analista de negócios do IsCool App, Débora Cavallaro, as escolas bilíngues também são grandes parceiras do aplicativo.

“Poder conversar com elas em um evento tão importante como o Sphere International Seminar, nos fez ficar por dentro das novidades para aprimorarmos ainda mais o nosso produto”, comenta.

Atualmente, o IsCool App já conta com diversas escolas bilíngues como parceiras. Uma das funcionalidades do aplicativo que atende principalmente a essas escolas é que o IsCool App oferece a opção de 4 idiomas, podendo ser configurado em Inglês, Alemão, Espanhol e Português.

Palestras e Workshops

Em 2019, o Sphere International Seminar contou com palestrantes nacionais e internacionais de referência, tais como: Ofelia García, Sara Vogel, Fernanda Liberali, Antonieta Megale, Anne-Marie de Mejía e Amparo Clavijo.

Logo no primeiro dia, a americana Sara Vogel abordou um estudo de caso sobre professores bilíngues de escolas públicas de ensino médio, da cidade de Nova Iorque. A pesquisadora revelou como eles estão integrando conceitos e práticas de Ciência da Computação em suas áreas de estudo e ensino de idiomas.

Sara Vogel é especialista na interseção entre educação bilíngue e aprendizado de mídia digital. Atualmente, é uma das principais pesquisadoras nessa área.

A especialista participou de mesa redonda ao lado de Amparo Clavijo e Fernanda Liberali, ambas também palestraram no mesmo dia. Amparo Clavijo é PhD e professora de alfabetização no Departamento de Linguística Aplicada da Universidad Distrital em Bogotá, Colômbia. Enquanto que Fernanda Liberali possui mestrado e doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela PUC-SP.

Já no segundo dia, a brasileira Antonieta Megale foi um dos destaques. Ela palestrou durante o Sphere International Seminar, com a apresentação intitulada “Educação multilíngue e multicultural: práticas e percursos no contexto brasileiro”.

Inclusive, vale ler ou reler artigo que fizemos aqui no blog do IsCool App sobre Ensino Bilíngue: saiba como formatar sua escola, com Antonieta Megale que é doutora em Linguística Aplicada pela Unicamp e coordenadora da pós-graduação em Educação Bilíngue do Instituto Singularidades.

Antonieta participou ainda de mesa redonda com Tatyana Kleyn e Anne-Marie de Mejia, ambas palestrantes do dia 8 de setembro. Tatyana Kleyn é professora associada e diretora dos Programas de Educação Bilíngue do  The City College em Nova Iorque.  Já Anne-Marie de Mejia é doutora em Linguística na área de Educação Billíngue pela Universidade de Lancaster, no Reino Unido.

A programação dos dois dias do evento reuniu palestras e workshops sob o tema: A constituição de agência por meio de práticas multilíngues e multiculturais”. Nos intervalos, os visitantes puderam conhecer a área dos expositores, entre eles, School Picture e IsCool App.

Com um time de peso de palestrantes, inclusive composto só de mulheres, o Sphere International Seminar mostrou que a educação bilíngue é um campo multicultural ainda a ser muito explorado, com transformações e inovações chegando a cada dia.

O seminário contou com a participação de professores e gestores da área da educação que atuam do Ensino Infantil ao Ensino Médio. A ideia do evento é debater as perspectivas e práticas relativas à educação bilíngue e internacional. Dessa forma, torna-se uma fonte rica para que os profissionais da área possam reciclar seus conhecimentos e aumentar seu repertório intelectual.

Nas edições passadas, o seminário apresentou temáticas relacionadas a “Visible Thinking”, “Teaching for Understanding” e “Differentiated Instruction”, sempre com a participação de renomados pesquisadores e educadores, tanto do Brasil, quanto de outros países. Que venham as próximas edições do Sphere International Seminar, um evento que sempre nos brinda com novidades da Educação Bilíngue.

Confira alguns momentos do Sphere International Seminar

Alunos de Niterói assistem palestra do projeto Refugiados na Escola

Ramin Shams faz palestra sobre refugiados para os alunos do Instituto Gaylussac

Presidente do IsCool App, Ramin Shams, fala sobre sua experiência como refugiado do Irã aos alunos do Instituto Gaylussac, em Niterói-RJ

Alunos do Instituto Gaylussac, em Niterói-RJ, assistiram à palestra de Ramin Shams, presidente do IsCool App, no dia 4 de setembro. A ação faz parte do Projeto Refugiados na Escola, de iniciativa da Cáritas-RJ.

Essa é a quarta palestra na qual Shams fala sobre sua história. Mais recentemente, em julho desse ano, o empresário abordou o tema para os alunos do Colégio Sâo Vicente de Paulo, também em Niterói-RJ.

Saiba mais: Presidente do IsCool App faz palestra como convidado da Cáritas-RJ sobre refugiados

De acordo com organizador do evento, José Victor Cosandey, essa palestra foi apresentada para alunos do 6º ano, na disciplina Cidadania e Salvaguarda.

“O fato de termos refugiados realizando palestras mostra aos alunos que eles existem, que são seres humanos que não queriam sair do seu país, mas foram obrigados, por diversos motivos”, conta.

É o caso de Ramin Shams, que veio para o Brasil refugiado do Irã aos 21 anos, quando viu a possibilidade de recomeçar a vida, ter uma formação acadêmica e prosperar. A educação na vida do empresário não é apenas um negócio, mas, sim, uma luta pela emancipação humana.

Sua visão vai ao encontro do projeto Refugiados nas Escolas que promove encontros entre pessoas em situação de refúgio e estudantes de escolas públicas e privadas do estado do Rio de Janeiro. A ideia é possibilitar a reflexão dos alunos sobre a realidade dos conflitos e perseguições que provocam deslocamentos forçados ao redor do mundo.​

Para Shams, a palestra foi muito proveitosa: “Os alunos estavam atentos e muito interessados em aprender. Foi muito bom dialogar com eles”, conta.

Depois da palestra, alunos do ensino médio entrevistaram Ramin Shams com perguntas sobre a vida dos refugiados, questões culturais, fase de adaptação, primeiras impressões sobre o Brasil, entre outras questões.

De acordo com o assessor de comunicação da Cáritas-RJ, Diogo Félix, o projeto começou em 2015 e, para atender à enorme demanda de pedidos de colégios, foi preciso criar um calendário de encontros periódicos, quase semanais.

“Nós incentivamos as escolas a valorizar a fala da pessoa refugiada, sobretudo porque esse auxílio é vital para a reconstrução da vida das pessoas que compartilham suas experiências com os estudantes”, ressalta. 

Atualmente, estima-se que há cerca de 68,5 milhões de pessoas deslocadas à força no mundo (Dados: ACNUR, Junho/2018), incluindo 25,4 milhões nessa condição. São os maiores níveis de deslocamento já registrados desde a Segunda Guerra Mundial. 

Sobre Ramin Shams

Ainda no Irã, Ramin Shams foi impedido de estudar por pertencer a uma minoria religiosa, até que decidiu refugiar-se no Brasil. Seguidor da fé Bahá’í, o iraniano viveu uma infância permeada por episódios de xingamento e maus tratos.

Durante a adolescência, a intolerância religiosa passou a tomar proporções maiores em sua vida até que, em 1983, ele viu sua casa ser invadida pela Guarda Revolucionária Iraniana. Foram levados seus documentos, pertences familiares, os livros e até o direito de estudar. 

“Quando nos impediram de estudar, não imaginavam o tamanho da vontade inerente em cada um de nós, uma vontade que romperia qualquer barreira”, lembra.

Em 1986, Shams decidiu fugir pela fronteira com o Paquistão, em uma jornada a pé que durou dramáticos sete dias. Partiu para o Brasil, incentivado por um imigrante iraniano que já vivia no país desde a década de 1950.

“No início, a primeira barreira foi a língua, depois a adaptação cultural”, conta ele.

Sem dinheiro, Shams decidiu aliar a tradição familiar de mais de 70 anos em fotografia ao fascínio pela educação, tornando-se pioneiro no segmento de recordação escolar. Somente em 2006, 20 anos após sua chegada ao Brasil, ele pôde realizar o sonho de retomar os estudos. Hoje, com 54 anos, possui graduação em comunicação e marketing e MBA em gestão empresarial pela FGV.

Confira alguns cliques da palestra:

Eventos de educação marcam a semana no Rio de Janeiro

O jornalista Marcelo Tas durante palestra no Conexia Annual Meeting

Equipes School Solutions estiveram presentes no Conexia Annual Meeting e Congresso Rio de Educação 2019

A cidade maravilhosa do Rio de Janeiro foi palco de dois importantes eventos voltados para a educação durante a semana.

O primeiro deles, o Conexia Annual Meeting aconteceu entre os dias 19 e 20 de agosto, no hotel Grand Hyatt. Já o segundo, o Congresso Rio de Educação 2019 ocorreu entre os dias 23 e 24 de agosto, no hotel Windsor Barra.

Durante os eventos, o time de vendas School Solutions, da School Picture, aproveitou para fazer relacionamento com os já clientes e demonstrar as diversas soluções escolares em comunicação, formaturas, foto e vídeo.

No Congresso Rio de Educação 2019, os visitantes puderam saber mais sobre o IsCool Sync: serviço de integração do aplicativo com o sistema de gestão escolar que tem se mostrado uma ferramenta importante para facilitar a rotina do colégio. Quem usa, está aprovando!

De acordo com a gerente de produto e novos negócios, Tálita Barão, o IsCool Sync automatiza a captura e atualização de dados importantes de cada aluno.

“Dados como boletos financeiros, boletim de notas e faltas e dados de cadastro, facilitando assim o dia a dia da gestão e trazendo mais segurança às informações do colégio, já em conformidade com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados)”, explica.

Inclusive, saiba as 5 vantagens de integrar o app de comunicação escolar ao software de gestão

Conexia Annual Meeting

A Conexia Educação, empresa do Grupo SEB (Sistema Educacional Brasileiro) reuniu um público de cerca de 300 pessoas durante o Conexia Annual Meeting 2009, entre os dias 19 e 20 de agosto, no Grand Hyatt Rio de Janeiro.  

A 2ª edição do evento reuniu diversos profissionais da educação para discutir a evolução dos novos modelos de aprendizagem. Entre os palestrantes, o jornalista Marcelo Tas e Emílio Munaro, diretor de desenvolvimento global e inovação do Instituto Ayrton Senna.

Marcelo Tas falou sobre o impacto da transformação digital no relacionamento com o cliente e como as mídias sociais podem auxiliar com feedbacks do seu público-alvo. Já Emílio Munaro abordou o desenvolvimento socioemocional baseado em evidências científicas.

Destaque para o Innovation Room, um espaço de imersão com a educação do futuro. No final do primeiro dia, a cantora Alcione foi a voz escolhida para abrilhantar ainda mais o encontro entre os educadores.  

Segundo a gerente de negócios da School Picture, Terezinha Alves Pereira, o Conexia Annual Meeting apresentou novas tendências para a educação: “Achei o evento muito bem organizado”, comentou.

Congresso Rio de Educação 2019

O IsCool App participou do Congresso Rio de Educação 2019 nos dias 23 e 24 de agosto no hotel Windsor Barra, na Barra da Tijuca. O evento foi uma iniciativa do Sinepe Rio, Sindicato das Escolas Particulares do Rio de Janeiro.

Ao lado da School Picture e Conquista Formaturas, o aplicativo apresentou em seu estande todas as funcionalidades, incluindo o serviço de matrícula e rematrícula com assinatura digital, e distribuiu alguns materiais para os visitantes do espaço, além de um prêmio durante sorteio final.

Para o gerente de negócios do IsCool App, José Carlos Soares, o evento foi uma oportunidade fantástica. “O School Solutions, com suas soluções inteligentes, foi um verdadeiro sucesso!”, relata ele, se referindo as marcas: School Picture, IsCool App e Conquista Formaturas.

A expectativa de público no Congresso Rio de Educação 2019 foi em torno de 1.000 pessoas, envolvendo diretores, professores, coordenadores entre outros profissionais ligados à educação. Além da School Picture, mais 24 empresas estiveram presentes.

O evento reuniu um time de grandes palestrantes, entre eles, o jornalista André Trigueiro e o filósofo Luiz Pondé. André Trigueiro abordou o tema de desenvolvimento sustentável e educação ambiental, enquanto que Luiz Pondé falou sobre os desafios enfrentados em sociedade por mudanças estruturais.

Confira os melhores momentos de Conexia Annual Meeting e Congresso Rio de Educação 2019.

IsCool App participa de eventos em Brasília e Belo Horizonte

Max Gehringer, um dos palestrantes do Congresso Rede Pitágoras

Públicos do 17° Enarse e Congresso Rede Pitágoras conheceram de perto as novidades do app, entre elas, a integração com o sistema de gestão escolar

A equipe do IsCool App esteve presente em dois eventos importantes que aconteceram simultaneamente, entre os dias 14 e 16 de agosto. O primeiro deles, o 17° Encontro Nacional da Rede Salesiana Brasil – Escolas (ENARSE) ocorreu no Hotel Royal Tulip, em Brasília (DF) e contou com a participação de aproximadamente 350 gestores e educadores da Rede Salesiana.

 Já o segundo evento, Congresso da Rede Pitágoras, aconteceu no Hotel Ouro Minas Palace, em Belo Horizonte (MG) e reuniu cerca de 800 diretores, coordenadores e professores de escolas da rede. Em ambos, a equipe do IsCool App apresentou as novidades do aplicativo, entre elas, a possibilidade de integração com o sistema de gestão da escola.

De acordo com a gerente de produtos e novos negócios, Tálita Barão, ambos os eventos são realizados por redes com escolas já parceiras do aplicativo e por essa razão a equipe do IsCool App não poderia ficar de fora.

“Nossa equipe esteve presente para apresentar as novidades e os diferenciais do produto ao público presente”, conta Tálita. “Um dos diferenciais é que somos os primeiros a oferecer o processo de matrícula pelo aplicativo no qual a assinatura dos pais possui validade jurídica”, explica ela.

Inclusive, para saber mais sobre a matrícula pelo aplicativo com assinatura digital, confira aqui.

ENARSE E ENEL

O 17° ENARSE aconteceu em conjunto com o 10° Encontro Nacional dos Ecônomos Locais (ENEL) entre os dias 14 e 16 de agosto, no Hotel Royal Tulip, em Brasília (DF).

O tema dessa edição foi: Liderança que se faz em rede: fortalecendo a comunhão e a missão pedagógico-evangelizadora. Entre os palestrantes, a economista Patrícia Ullmann Palermo falou sobre o cenário econômico brasileiro e os desafios para a gestão escolar. Também o autor do livro “As oito estratégias fundamentais para o sucesso de uma instituição de ensino”, Ronaldo Nuzzi, abordou quais as medidas para melhorar a situação financeira das escolas.

Nos intervalos das palestras, o estande do IsCool App recebeu a visita de escolas parceiras, entre elas, Dom Bosco de Americana (SP), cidade sede do aplicativo, representada pelo Pe. Aramis e Pe. Morgado (foto abaixo).

(Da esq. para a dir.) Carlos Lopes, Glauber Trevisan, Pe. Aramis, Milene Lobo e Pe. Morgado

O último dia do encontro teve como ponto alto a apresentação do novo material pedagógico e a premiação das dez escolas que participaram do desafio Náutas.

O ENARSE e o ENEL são eventos anuais promovidos pela RSB-Escolas no intuito de ampliar a visão de rede e fortalecer a missão educativa salesiana, considerando o contexto atual da educação e da economia brasileira.

De acordo com o gerente de vendas do IsCool App, Carlos Lopes, participar no ENARSE 2019, foi uma oportunidade única de representar o IsCool App.

“Como nossa empresa trabalha com diversas escolas Salesianas, algumas há 30 anos, eu pude sentir a confiança de diversos representantes das escolas em relação às nossas marcas”, diz Carlos se referindo ao IsCool App, à School Picture Recordações Escolares e à Conquista Formaturas.

Completando 27 anos de empresa, o gerente se diz “realizado por poder fazer parte da história de uma empresa que se preocupa e leva constantemente soluções que facilitam a vida de tantas escolas no Brasil”, afirma.

CONGRESSO REDE PITÁGORAS

Entre os dias 15 e 16 de agosto, a School Picture, como expositora, levou as marcas IsCool App e Conquista Formaturas ao Congresso Rede Pitágoras. Sob o tema “Realização 2020”, diversos especialistas abordaram temas atuais para uma plateia lotada.

Um dos destaques foi a palestra do especialista em administração de empresas e gestão de talentos, o escritor Max Gehringer que destacou que a disciplina é o pulo do gato em vendas.

Ele também alertou sobre a importância de não dispensar os talentos da empresa, mesmo em tempos de crise, pois são eles quem vão ajudar a reerguer o negócio depois de tempos difíceis.

O psicólogo e escritor Rossandro Klinjey também foi um dos destaques. O especialista abordou uma questão paradoxal nos dias de hoje: a inteligência artificial que auxilia, mas também pode substituir a inteligência humana.

Rossandro citou Watson, plataforma de serviços cognitivos da IBM. Segundo o palestrante, esse supercomputador tem feito estudantes americanos desistirem da profissão de advogado. Isso porque a máquina consegue processar 500 gigabytes, o equivalente a um milhão de livros por segundo, possibilitando a entrega de peças jurídicas com muito mais rapidez e precisão.

Em clima de festa, o evento foi encerrado com muita animação e samba no pé. O Congresso Rede Pitágoras é realizado anualmente e tem o propósito de debater os desafios atuais do gestor educacional e o papel da liderança escolar no cenário contemporâneo do setor.

“Para nós, o evento se tornou uma grande oportunidade de novos negócios e também para estreitar relacionamento com os nossos clientes”, ressalta a analista de negócios do IsCool App, Débora Cavallaro

Confira os melhores momentos do ENARSE e do Congresso Rede Pitágoras

LGPD e contratos de matrícula: escolas precisam se adequar já em 2019

A LGPD – Lei Geral de Proteção de dados já foi sancionada e sua entrada em vigor está prevista para agosto de 2020. Entretanto, escolas devem adequar seus contratos de matrícula ainda esse ano.

O período de matrículas para o ano que vem está chegando. No mais tardar em Outubro, as escolas se preparam para novas matrículas e rematrículas. Porém, esse ano os colégios devem ficar atentos em relação aos contratos, pois haverá mudanças por conta da LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados.

Isso porque os contratos assinados em 2019 terão vigência durante o próximo ano, justamente quando a lei dá entrada em vigor após o prazo de adequação das empresas e profissionais autônomos.

Mas, afinal, o que é a LGPD e que tipo de sanção jurídica a escola pode sofrer caso não se atente a ela? A Lei Geral de Proteção de Dados é a legislação mais recente que fala sobre os direitos dos brasileiros em relação ao uso de seus dados pessoais e dados sensíveis.

São exemplos de dados pessoais: nome, RG, CPF, conta bancária e até placa de carro. Já os dados sensíveis se referem a saúde, biometria, opção sexual, entre outros. Como as demais empresas, as escolas devem se adequar à nova lei já que utilizam dados pessoais, sobretudo para os contratos, bem como os dados sensíveis em certas ocasiões.

As sanções para as empresas que não estiverem em conformidade com a LGPD podem ser bem pesadas: 2% do limite de 50 milhões do faturamento da empresa ou do grupo econômico por infração.

Inclusive, o blog do IsCoolApp já vem falando sobre o assunto desde que a LGPD foi sancionada. Saiba mais:

De acordo com a pedagoga e advogada, Cristina Sleiman, os colégios devem se atentar, uma vez que possuem obrigações legais como toda empresa.

“A LGPD se aplica às instituições de ensino porque elas lidam com dados pessoais e dados sensíveis, inclusive de menores de 18 anos”, explica.

Sobre isso, a advogada conta que o artigo 14 do texto da LGPD trata especificamente sobre os dados de crianças e adolescentes. O artigo fala, em linhas gerais, que o tratamento dos dados pessoais dos menores deve ser realizado com o consentimento de pelo menos um dos pais ou responsável legal. E que, em hipótese alguma, deverão ser repassados a terceiros sem igual consentimento.

“As escolas têm que ter uma preocupação maior, tomar muito cuidado, pensar no modelo de coleta desses dados pessoais. Um dos problemas é a não conformidade que pode acarretar as sanções previstas”, enfatiza.

Contratos de matrículas para 2020

As escolas precisam atualizar o contrato já desse ano com uma cláusula específica sobre a questão dos dados pessoais e dados sensíveis. Assim, durante a vigência do documento em 2020, o colégio pode ficar tranquilo porque estará em conformidade com a LGPD.

Segundo Cristina Sleiman, o contrato de matrícula fará referência às regras de segurança da informação. “Precisa especificar bem, deixar muito claro, aplicando-se o princípio da transparência”, afirma.

Vale lembrar que apesar do contrato de matrícula ser um dos principais documentos a serem revistos a partir da nova legislação, não é o único que a escola precisa se atentar.

Outros documentos, como o regimento interno, por exemplo, também deverão ser atualizados. “É importante mostrar a boa fé da instituição”, finaliza Cristina.

Para os colégios, o recado que fica é: primeiro analisar o cenário atual da instituição em relação à coleta e tratamento dos dados pessoais e dados sensíveis dos alunos e responsáveis.

Depois, implementar um plano de ação para sensibilizar e capacitar toda a equipe escolar. Além dos muros da escola, é preciso lembrar que os prestadores de serviço também precisam estar em conformidade com a LGPD. É o caso do aplicativo de comunicação escolar, o IsCool App, que já se antecipa à essa questão, promovendo as adequações necessárias a fim de garantir total conformidade com a lei.

Matrícula e Rematrícula pelo aplicativo

O IsCool App oferece às escolas a praticidade de os pais realizarem a matrícula e rematrícula pelo app. O diferencial do serviço é que ele oferece a segurança jurídica sobre a assinatura digital dos responsáveis. Isso significa que a escola permanece com os documentos digitais salvos e válidos juridicamente.

De acordo com a gerente de negócios e novos produtos, Tálita Barão, o IsCool App apresenta um serviço inovador no mercado com o propósito de otimizar o processo de matrícula e rematrícula.

“Substituindo o contrato de papel pelo digital, a escola obtém diversas vantagens. Uma delas, por exemplo, é a diminuição do tempo que a família leva para assinar o contrato, facilitando a vida na escola e oferecendo aos pais um serviço de conveniência”, diz.  Isso ocorre porque o senso de urgência predomina no apelo totalmente on-line da campanha.

Os pais são beneficiados com a praticidade da matrícula pelo aplicativo, uma vez que o processo finaliza em poucos cliques e os contratos gravados em nuvem ficam arquivados com toda a segurança necessária para a instituição.

A assinatura digital da matrícula no IsCool App se utiliza de tecnologia que verifica três pontos de validação e oferece o mesmo peso de uma assinatura de próprio punho. Trata-se do método já utilizado por bancos e seguradoras do mundo todo.

Existem muitas vantagens para as escolas e os pais ao utilizarem o serviço de matrícula e rematrícula com assinatura digital pelo aplicativo de comunicação escolar. Inclusive, o blog do IsCool App produziu um Especial sobre Matrículas 2020 que você não pode deixar de conferir:

Aproveite o período de matrículas escolares e repense a sua estratégia. Consulte nossa equipe para mais informações. Clique aqui.

Como a Integração do IsCool App pode contribuir para a volta às aulas

Aplicativo de comunicação escolar integrado ao software de gestão da escola oferece ganho de tempo e segurança da informação no retorno dos alunos

Com a volta das atividades escolares do segundo semestre, os colégios podem se ver em apuros ao realizar o processo de matrículas e rematrículas, atualizar cadastros e boletins, enviar boletos bancários, entre outros processos. Tudo isso pode custar tempo e dinheiro quando esses processos não são automatizados e, pior ainda: quando não estão integrados com as demais ferramentas tecnológicas do colégio.

Por essa razão que o aplicativo de comunicação escolar, o IsCool App, oferece o serviço de integração para conectar-se ao sistema de gestão da escola, também conhecido como ERP (do inglês, Enterprise Resource Planning ou Sistema Integrado de Gestão Empresarial). Um ERP é capaz de atender todos os segmentos de uma escola, centralizando as informações num só lugar.

Por isso é tão interessante a sincronização entre o ERP e o aplicativo de comunicação escolar. Inclusive, já falamos sobre as 5 vantagens em integrar o app de comunicação escolar ao software de gestão anteriormente. Vale lembrar que o IsCool App foi um dos primeiros apps a oferecer o serviço chamado de IsCool Sync, que se integra a diversos softwares de gestão escolar.

Entre eles, a Babylândia e Atuação Escola Bilíngue, de Niterói-RJ que utiliza o IsCool Sync desde o início desse ano. De acordo com o diretor Rodrigo Sampaio, o módulo de integração facilita muito o trabalho da escola no sentido de oferecer maior praticidade.

“Não precisamos lançar os dados no aplicativo, uma vez que o mesmo está integrado ao nosso sistema de gestão. Por exemplo, os pais que fizeram matrícula agora no meio do ano, automaticamente já ficam sabendo dos comunicados e projetos da escola pelo aplicativo, antes mesmo do início das aulas”, explica Rodrigo.

A Babylândia e Atuação Escola Bilíngue foi uma das primeiras da sua região a oferecer o ensino também no idioma inglês. É conveniada a Universidade de Cambridge. Recentemente, adquiriu uma casa em Orlando, na Flórida – EUA, a fim de levar os alunos do ensino médio e fundamental II para participar de intercâmbios nas férias de julho. A escola que atende da Educação Infantil ao Ensino Médio ainda é parceira do Projeto UNOi Educação, que conta com o apoio de parceiros como a Apple, a Unesco, a Epson, entre outros.

Em São Paulo, o Colégio Santo Agostinho também utiliza o IsCoolApp Sync. A escola passou a integrar seu software de gestão ao aplicativo de comunicação escolar desde o começo de 2019. De lá para cá, os resultados têm sido positivos. Segundo Raquel Bohnstedt, diretora pedagógica, a maior vantagem do aplicativo com o serviço de integração é a rapidez com que os pais são informados e a abrangência dos conteúdos.

“Como as informações seguem de forma ativa pelo aplicativo, atingimos também aqueles pais que normalmente não buscam pela informação no site do colégio, aumentando assim a abrangência do público”, relata ela.

O Colégio Santo Agostinho atua na capital paulista desde a década de 30 e possui tradição agostiniana, tendo como um dos principais valores o de ensinar com amor. Atende alunos da educação infantil até o ensino médio. Também oferece ensino bilíngue integrado à proposta pedagógica da escola.

Integração e praticidade

Com o serviço de integração do IsCool App, o IsCool Sync, seu colégio garante integridade dos dados, um princípio básico da comunicação fluida. Sem contar que os pais recebem, em tempo real, informações que antes eles teriam que buscar em outro canal, como portal do colégio ou até mesmo um contato telefônico.

A integração do app de comunicação com seu ERP já se mostra como uma necessidade na rotina diária da escola, principalmente nos momentos de maior fluxo de trabalho, como a volta às aulas.

Mais do que facilitar o dia a dia dos colaboradores e permitir maior vazão no fluxo de trabalho, estamos falando de segurança da informação. Com tantas tecnologias à disposição, é importante que o colégio busque soluções para integrar as ferramentas e facilitar o dia a dia dos colaboradores, alunos e pais. Integrar o aplicativo de comunicação escolar ao sistema de gestão, por exemplo, não só confere praticidade como segurança à informação.

Além de manter os cadastros dos alunos sempre atualizados, a sincronização entre o ERP e o aplicativo IsCool App oferece outros benefícios, como o envio automático de boletos e de outros serviços que utilize o sistema de gestão da escola para registro de baixa, como, por exemplo, catraca.

Entre todas as vantagens do IsCool App Sync, destacam-se:

  • Otimização de tempo

A integração do IsCool App Sync maximiza os benefícios do ERP em produtividade. Isso significa menos tempo perdido tentando fazer um programa conversar com o outro. O processo de integração em si também pode ser bastante rápido.

Quando é necessário puxar as notas e faltas dos alunos para o aplicativo de comunicação escolar, isso é retirado do ERP. Bom para a escola que ganha em credibilidade. Bom para os pais que recebem a informação do boletim e da freqüência escolar sempre atualizada.

  • Mais segurança nos processos

A segurança das informações e de dados é fundamental para qualquer escola. Com a integração do aplicativo ao software de gestão, o colégio garante maior proteção na transição dos dados entre os programas.

Essa confiabilidade acaba refletindo na imagem da própria escola, que passa a ser reconhecida como uma instituição eficiente, preocupada com a segurança da informação, eficácia dos processos e com grande vantagem sobre a concorrência.

Além do que, escolas eficientes necessitam de recursos tecnológicos também eficientes. Parte do portfólio de funcionalidades do IsCool App, o Sync é um serviço oferecido pelo aplicativo, que inclui monitoramento e ajustes necessários em tempo real para que a integração aconteça e a comunicação seja fluida.

Seu colégio não precisa esperar até 2020 para conectar o IsCool App ao sistema de gestão. Aproveite o momento de volta às aulas e integre seus recursos tecnológicos para melhores resultados. Para saber mais informações sobre este serviço, assim como as demais funcionalidades do aplicativo de comunicação escolar, clique aqui.

IsCool App é destaque no 15º Congresso do Ensino Privado Gaúcho

Aplicativo de comunicação escolar atraiu a atenção durante o evento organizado pelo Sinepe-RS que reuniu mais de 2 mil participantes em Porto Alegre, entre os dias 24 e 26 de julho.

Nem o frio chuvoso afastou os diretores e professores dos colégios do sul do país durante o 15° Congresso do Ensino Privado Gaúcho, organizado pelo Sinepe-RS.

O congresso e a feira aconteceram simultaneamente entre os dias 24 e 26 de julho, no Centro de Eventos da PUCRS. O evento reuniu cerca de 40 expositores e mais de 2 mil pessoas, entre mantenedores e professores de escolas privadas da região sul do Brasil.

O IsCool App marcou presença na Expoeducação, demonstrando as novas funcionalidades do aplicativo de comunicação escolar aos participantes do evento, além de presentear os seus clientes com um mimo especial.

Também a School Picture ganhou destaque ao trazer a foto-lembrança para os congressistas, Foram impressas mais de 900 fotos de professores e diretores que ora se juntavam em grandes grupos, ora posavam sozinhos para o fotógrafo. Somente uma empresa que já possui tradição em recordação escolar para proporcionar uma ação desse nível.

De acordo com a consultora de negócios do IsCool App, Mariam Vahdat, eventos educacionais como o promovido pelo Sinepe-RS são muito importantes para estreitar parcerias, fortalecer vínculos com os clientes e promover novas oportunidades de negócios e relacionamentos.

“É uma alegria rever clientes que se tornaram amigos e uma grande satisfação quando ouvimos deles que nossos serviços contribuem para o progresso do colégio”, relata Mariam.

Mariam Vahdat, ao centro, apresentando todas as funcionalidades do IsCool App

Os diretores dos colégios que são clientes do aplicativo e, estavam presentes no evento, receberam em mãos um presente da nossa equipe.

Além dos presentes para colégios que já são clientes, a equipe do IsCool App sorteou 1 ano de uso gratuito do aplicativo entre os participantes do evento. Quem levou o prêmio foi a sortuda Fernanda Marmentini, do Colégio Franciscano São José, de Erechim-RS.

O evento, que acontece a cada dois anos, já tem data para a próxima edição: 21 a 23 de julho de 2021. Segundo o diretor do Sinepe-RS, Milton Léo Gehrke, a edição de 2019 contou com a participação de cerca de 100 escolas de todo o Rio Grande do Sul.

“Esse evento é muito importante porque traz novidades para a sala de aula, seja através dos temas debatidos durante o congresso, seja através das soluções escolares apresentadas pelos expositores”, explica Milton.

E completa: “Desde o primeiro congresso temos como objetivo revigorar as escolas, trazendo temas relevantes e atuais para a reflexão. Tivemos 2 mil inscritos esse ano, mas se não fosse por conta da limitação do espaço, teríamos ainda mais.”

Encontro de Lideranças e Palestras

Numa plenária com visão de 360° graus, diversos especialistas discutiram a educação brasileira para uma plateia lotada. Como o evento foi realizado na capital gaúcha, não faltou quem levasse o inseparável chimarrão durante as palestras.

A abertura oficial da Expoeducação foi precedida pelo Encontro de Lideranças que contou com a presença dos diretores dos principais colégios gaúchos.

Já no segundo dia do evento, um dos destaques foi a palestra de Pedro Demo, professor titular da Universidade de Brasília e autor de mais de 40 livros. O tema abordado por ele foi: A autoralidade do professor e do aluno.

“A escola muda, se o professor muda”, avisa Pedro Demo. “O professor deve ser o protagonista da mudança e educar pela pesquisa, pela autoria, não apenas reproduzindo conteúdos”.

O terceiro e último dia foi enriquecido com a apresentação de diversos assuntos atuais, alinhados com o tema do congresso “Professor: agente de conexão”. Luis Rasquilha, por exemplo, abordou a questão tecnológica em sala de aula, através da sua conferência “Do aluno de hoje ao profissional de amanhã”. Rasquilha é um reconhecido consultor de inovação para empresas.

“O papel do professor é o de curar o conteúdo, saber o que interessa e o que não interessa. Mas, não adianta querer forçar o aluno. Antes de tudo precisa entender sua cabeça e se ajustar naquilo que ele quer”, explica. Segundo o consultor, a educação é um dos negócios que mais está em transformação.

Já o psicólogo Rossandro Klinjey, autor do livro “Temas complexos: uma abordagem didática”, falou sobre a importância do professor não cair na rotina através da sua palestra: “Numa era de incertezas, o mais importante é ser feliz”.

O psicólogo, já conhecido pelo grande público por sua participação no Programa Encontro, com Fátima Bernardes, da Rede Globo, alertou que qualquer pessoa pode nos ensinar, inclusive os mais novos, desde que estejamos dispostos a aprender.

“Fiz um curso de idiomas com adolescentes e percebi que eles sabiam mais do que eu. Ao invés de achar isso ruim, notei que poderia aprender muito com eles”, relata.

Rossandro Klinjey com a palestra “Numa era de incertezas, o importante é ser feliz”

Como visto, é preciso uma mudança de visão, de hábitos e de atitudes para que o professor conquiste a atenção dos alunos e possa ser, de fato, um agente de transformação da vida das pessoas. Essa parece ter sido a principal mensagem aos participantes do congresso.

Confira os melhores momentos do 15º Congresso do Ensino Privado Gaúcho

Ensino bilíngue: saiba como formatar sua escola

O ensino de uma segunda Língua está alinhado com as competências necessárias para os alunos de hoje. Porém, é necessário que a escola esteja preparada para oferecê-lo de maneira assertiva e eficiente.

Nos últimos cinco anos, o mercado escolar bilíngue se expandiu muito. Estima-se um aumento entre 6% e 10% (dados da Associação Brasileira do Ensino Bilíngue – Abebi). Isso mostra que os pais dos alunos estão cada vez mais buscando colégios que preparem seus filhos para o mercado de trabalho numa perspectiva de economia globalizada.

“Esse movimento que ocorre no Brasil, também está ocorrendo em outros países da América do Sul e do mundo. É, portanto, um fenômeno em vasta expansão em todo o planeta”, comenta Antonieta Megale, doutora em Linguística Aplicada pela Unicamp e coordenadora da pós-graduação em Educação Bilíngue do Instituto Singularidades.

Porém, seja por falta de informação ou por falta de regulamentação – ou por ambos os motivos, algumas escolas acabam se vendendo como escolas bilíngues, quando na verdade não são. De acordo com Megale, é necessário se atentar que há especificidades nesta modalidade educativa no que se refere à formação de professores.

Antonieta Megale

“Precisamos planejar como formaremos professores para atuarem nessas escolas. Não basta apenas contratarmos professores fluentes na língua adicional. Esse professor precisa ter conhecimento do conteúdo que ministrará por meio da língua adicional, assim como das didáticas referentes a essa área do conhecimento”, explica.

O Ministério da Educação e Cultura (MEC) não possui uma regulamentação específica para esse tipo de ensino, considerando como bilíngue somente as escolas para surdos, de fronteiras e as indígenas. Essa lacuna resulta em estabelecimentos com diferentes níveis de ensino do segundo idioma e, muitas vezes, frustração por parte dos pais que esperam que os filhos adquiram fluência em outra língua, porém, nem sempre isso ocorre.

“Precisamos também começar a produzir pesquisas nessa área, focalizando nosso próprio contexto. Não podemos apenas nos basear em pesquisas realizadas em outros contextos. Precisamos olhar para nossas próprias demandas, lacunas e desafios”, lembra Megale.

Escola bilíngue x escola internacional

Como vimos, aqui no Brasil ainda não existe uma regulamentação que defina exatamente o que é uma escola bilíngue. Mas, segundo especialistas, é preciso que pelo menos 50% do currículo sejam desenvolvidos na língua estrangeira, além de atividades lúdicas. O conceito é diferente das escolas denominadas internacionais, que seguem cerca de 80% da grade curricular de outro país.

A escola bilíngue oferece como base de ensino o currículo brasileiro, diferente da escola internacional que segue o currículo estrangeiro, como por exemplo, americano ou britânico. Na escola bilíngue, além do ensino da língua estrangeira, algumas disciplinas também são passadas aos alunos noutro idioma. Já na escola internacional, todas as matérias são lecionadas no idioma estrangeiro. Outra diferença é que na escola internacional, os diplomas também são estrangeiros.

Bilinguismo por imersão

Normalmente, as escolas que promovem a imersão completa do aluno numa cultura estrangeira – ou seja, não ensinam somente uma nova língua, mas também os hábitos, costumes e as tradições de outro país, têm maior êxito.

É o caso da Maple Bear, rede canadense de escolas do ensino infantil ao médio que atua no Brasil desde 2006. Oferece o ensino bilíngue ministrando atividades em inglês até os cinco anos de idade e, a partir da alfabetização, as aulas passam a ser 75% em Inglês e 25% em Português. Ao ingressar no Ensino Fundamental, os alunos assistem metade das aulas na língua nativa e a outra metade em Inglês, conforme a demanda do currículo nacional que prevê as matérias de História, Geografia e Português.

“O nosso currículo escolar é distribuído de tal forma que os alunos conseguem aprender e a organizar o pensamento nos dois idiomas”, relata a sócia-diretora da unidade Maple Bear de Campinas, Erica Ribeiro da Silva Moreira.  

A unidade também utiliza o IsCool App como aplicativo de comunicação escolar entre os pais e o colégio: “Enviamos os comunicados nos dois idiomas, Português e Inglês, já que a maioria das famílias é brasileira”, conta.

Como se preparar para oferecer ensino bilíngue

Já é sabido que o que caracteriza uma escola bilíngue é o fato de que há componentes curriculares ou áreas do conhecimento ministradas em duas ou mais línguas. Segundo Antonieta Megale, para formatar a sua escola com o sistema de ensino bilíngue, o primeiro aspecto a ser observado é: quais componentes curriculares serão ministrados em português e quais serão ministrados na língua adicional.

Ela reforça: “Depois, é preciso verificar se esta escola está localizada em algum estado brasileiro em que já há regulamentação. Caso esteja, é preciso observar os pressupostos exigidos para o funcionamento de uma escola bilíngue dispostos no documento”.

As possibilidades para esta transformação precisam ser analisadas, seja por conta própria ou com o auxílio de metodologias já existentes do mercado. De acordo com informações da Abebi, “o primeiro caso, normalmente é muito complexo devido à escassez de profissionais preparados no país atualmente”.

A segunda opção é a mais indicada, pois assim a escola pode contar com a experiência de empresas que já possuem estrutura pedagógica consolidada e que já realizam este trabalho há algum tempo.

Comunicação escolar em outro idioma

Outro aliado nesse projeto de escola bilíngue é o aplicativo de comunicação escolar. Hoje, o IsCool App atende várias escolas bilíngues em todo o Brasil e oferece aos colégios, entre diversas funcionalidades, a oportunidade de configuração em outros idiomas.

O IsCoolApp é o único do mercado disponível em quatro idiomas. Para as escolas que já utilizam o aplicativo, alterar o idioma é muito simples. Na versão mobile do IsCool App existem as quatro opções de idiomas: Alemão, Inglês, Espanhol e Português.

Num mundo globalizado, multicultural, dominar outra língua se tornou uma necessidade. Para a escola, uma das principais vantagens em se tornar bilíngue é a de se diferenciar da concorrência. Já para os alunos, o acesso durante toda a escolarização a duas línguas, pode facilitar o ingresso e o percurso em uma universidade estrangeira, segundo Antonieta Megale.

“Além disso, o aluno pode ter acesso a bens culturais diversos produzidos em português e na língua adicional, o que contribui para a ampliação do repertório do aluno e, consequentemente, de seu conhecimento do mundo e de si mesmo”, finaliza.

IsCool App faz parceria com escola municipal de Bebedouro (SP)

Aplicativo de comunicação escolar foi implantado gratuitamente em escola reconhecida pela Unesco por projeto de preservação do meio ambiente

A escola municipal Professor Stélio Machado Loureiro é um exemplo de cidadania a ser seguido. Tanto que seu projeto “Lixo Urbano e Comunidade Escolar”, executado em 2018, foi reconhecido pela Unesco, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Por mérito próprio, hoje a escola de Bebedouro-SP integra a Rede PEA (Programa de Escolas Associadas) da Unesco.

Atualmente, a escola também é parceira do aplicativo IsCool App, oferecendo aos pais dos alunos a comodidade de acompanhar a rotina escolar dos filhos na palma da mão, através da tela do celular. De acordo com a diretora da instituição, Sonia Paro, o IsCool App trouxe inovação e curiosidade aos alunos e familiares.

“Estamos nos adaptando, criando vínculos diferenciados com os pais e responsáveis”, explica.

Segundo ela, o uso do aplicativo de comunicação tem ainda ajudado nas questões de conscientização de preservação do meio ambiente – uma vez que o IsCool App evita o desperdício de papel.

Tem ainda a questão de economia financeira,“pois os alunos não têm que adquirir a agenda que a escola confecciona”, completa Sonia. 

A gerente de produtos e novos negócios, Tálita Barão, conta que a parceria de responsabilidade social foi pensada a fim de beneficiar a escola Professor Stélio Machado Loureiro e mostrar o apoio e reconhecimento de ações em prol da educação pública.

“A empresa demonstra o apoio a diversas iniciativas que estão alinhadas com os valores que praticamos no IsCool App”, explica.  

Sobre o IsCool App, a diretora da escola, Sonia Paro enfatiza:

“Esperamos que esta parceria nos coloque à frente de uma experiência na qual poderemos interagir e nos relacionar melhor com a nossa comunidade”.

De Bebedouro para o mundo

Em 2019, a Escola Municipal de Educação Básica (EMEB) “Professor Stélio Machado Loureiro” completa 71 anos de existência. Hoje a instituição atende mais de 500 crianças do ensino infantil e fundamental I, nos períodos da manhã e tarde. À noite, suas carteiras são ocupadas por alunos do EJA (Educação de Jovens e Adultos).

A escola está situada em Bebedouro, cidade que fica na região norte do estado de São Paulo, a cerca de 40 km de Jaboticabal e 80 km de Ribeirão Preto. Seus 77 mil habitantes contam com mais de 10 escolas municipais de ensino fundamental e infantil. A EMEB Stélio Machado Loureiro está entre elas.

A unidade escolar promove ainda a inclusão de 60 crianças com deficiência e dificuldades de aprendizagem. De acordo com Sonia Paro, a gestão da escola segue os “quatro pilares” fundamentais da educação preconizados pela Unesco. São eles: 

  1. Aprender a conhecer (adquirir instrumentos de compreensão);
  2. Aprender a fazer (para poder agir sobre o meio envolvente);
  3. Aprender a viver juntos (cooperação com os outros em todas as atividades humanas);
  4. E, finalmente, aprender a ser (conceito principal que integra todos os anteriores).  

Ser associada ao programa da Unesco leva a escola para uma dimensão internacional: todas as associadas podem participar de concursos e projetos globais, o que oferece uma perspectiva universal dos desafios da educação.

De acordo com a coordenadora nacional do programa, Myriam Tricate, as escolas associadas devem ser pioneiras em abordagens inovadoras, participativas e criativas, a fim de mudar e transformar a educação.

“No Brasil, queremos especialmente que as escolas sejam parceiras, colaborativas, integrem seus esforços e trabalhem juntas, trocando experiências para formar uma rede plena de identidade. Afinal, somos 569 escolas públicas e particulares, em todo o país, a segunda maior rede do mundo”, reforça.

A adesão a Rede PEA Unesco é aberta todos os anos e podem se candidatar escolas públicas ou privadas de educação básica, e instituições de formação de professores. Todos os anos, as escolas associadas se reúnem num encontro nacional. Inclusive, a EMEB Stélio Machado foi anunciada como escola associada durante a edição passada do evento, que ocorreu em Salvador-BA.

Em 2019, o encontro acontece na cidade de Ouro Preto- MG, entre os dias 11 e 13 de setembro. O Encontro Nacional da Rede PEA Unesco contará com a participação e apoio do IsCool App. 

Uma ideia na cabeça e o futuro nas mãos

O projeto executado pela escola com o lema “Lixo Urbano e Comunidade Escolar”, propôs aos alunos da Escola Municipal de Ensino Básico (EMEB) “Professor Stélio Machado Loureiro” diversas atividades de limpeza e organização da escola e dos arredores. Parte dessas atividades foram executadas durante o “Dia Mundial da Limpeza”, em 15 de setembro de 2018.

O Dia Mundial de Limpeza é uma ação proposta pelo Instituto Limpa Brasil, uma Organização sem fins lucrativos (ONG) que visa promover a mobilização de voluntários para a limpeza de suas cidades, bairros, praias e praças e parques.

O objetivo é conscientizar a sociedade sobre o problema do descarte irregular de resíduos sólidos urbanos. Participam dessa ação mais de 150 países, incluindo o Brasil.

Nesse dia, as crianças puderam colaborar com a limpeza dos espaços escolares, assim como da coleta e separação de lixo no entorno do prédio. Desde o pátio, passando pelas salas de aula até além dos muros, cada série ficou responsável por uma atividade diferente, envolvendo 550 alunos no total.

Os alunos também elaboraram um folder com dicas de cidadania e divulgaram para toda a escola.

Folder desenvolvido pelos próprios alunos

Dias antes, a ação foi tema inclusive do tradicional desfile de 7 de Setembro, no qual a unidade escolar teve a oportunidade de apresentar como seria o Dia Mundial da Limpeza para as autoridades presentes e toda a comunidade bebedourense.

Escola participou do Desfile de 7 de Setembro, divulgando o “Dia Mundial da Limpeza”

A EMEB Stélio Machado ainda desenvolveu campanhas para coleta de óleo de cozinha para reciclagem e lacres de refrigerantes para trocar por uma cadeira de rodas. Outra iniciativa foi o projeto “Muros que educam”, cuja ideia é a de pintar os muros da escola com temas variados. Um exemplo foi o muro sobre trânsito seguro. 

“Em cidades com menos de 100 mil habitantes já é difícil ter escola pública associada ao PEA Unesco. Bebedouro, contudo, possui duas escolas. A primeira foi a EMEB Maria Fernanda Lopes Piffer”, relata Sonia sobre o feito inédito.

A partir desse projeto de conscientização ambiental e de cidadania, a escola mostrou que é possível viver num ambiente organizado, com carteiras e pátios limpos, onde o lixo é separado conforme a coleta seletiva: metal, papel, vidro, plástico e orgânico. Tudo isso só depende da colaboração de todos. E que venham mais exemplos de escolas como a EMEB Stélio Machado Loureiro!